quarta-feira, 29 de junho de 2011

Será que tá frio?

Essa é a indumentária da família nessa semana gélida aqui no RS!!!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Para o bebê, o melhor leite é o da mãe!! [Postagem coletiva]

Hoje é dia Internacional do Leite, e fui convidada via Facebook para a postagem coletiva "Para o bebê, o melhor leite é o da mãe". (mais aqui)

"A ideia é disseminar a informação de que o leite materno é o melhor para o bebê. O leite artificial deve ser utilizado apenas quando não há possibilidade real de amamentação, quando a mãe encontra alguma dificuldade fisiológica para amamentar ou em casos específicos. Dar o leite artificial ou o leite de vaca no lugar do leite materno quando a mãe tem condições de amamentar não traz benefício algum"

Passei o dia todo pensando no que poderia escrever, já escrevi algumas vezes sobre amamentação aqui no blog, então tá difícil pensar num "texto inédito". Então pensei em fazer o óbvio: listar os benefícios que encontrei no leite materno. Mas aí a ideia pifou... eu na verdade só encontro dois grandes benefícios: o Teodoro dificilmente fica doente e é uma criança tranquila.

Eu acredito que essas duas "características" do Téo se devem ao aleitamento materno. No primeiro caso há o reforço do sistema imunológico. O Teodoro teve uma bronqueolite perto do sexto mês, resultado do contato com o vírus da gripe. E só. No máximo rola um "nariz escorrendo" quando esfria, mas isso é resposta do corpo, nem conto como doença. No segundo caso acho que o contato e o vínculo estabelecido no ato de amamentar são responsáveis pelo Teodoro se sentir seguro, e segurança traz tranquilidade (em qualquer idade, diga-se de passagem).

Enfim, caiu na mesma. Se eu pudesse dar apenas um conselho a uma mãe de primeira viagem seria: amamente. Muito, sempre e por quanto tempo o teu filho quiser.

Pra encerrar esse post meio sem noção vou citar um post que fiz aqui, entitulado "Amamentar é difícil?" que escrevi num momento mais inspirado do que esse...


"[...] as duas coisas essenciais para amamentar estão dentro de você: LEITE e AMOR. Muitas coisas podem ser ditas, muitas dicas podem ser dadas, MAS, vou insistir, somente o amor te fará superar qualquer dificuldade.

É por amor que superamos os desafios diários de ser mãe, é por amor que acordamos durante a madrugada só pra ver se o pitoco tá respirando, é por amor que nos aventuramos a pilotar a "Nave Mãe".

Então, depois de muito refletir sobre o tema penso que a única dica que posso dar para as mamães que estão tendo dificuldades para amamentar é: respire fundo, olhe para a carinha do seu pitoco e repita o mantra “Eu te amo” quantas vezes sejam necessárias para que a calma se restabeleça na sua mente. Experimente a calma e a serenidade que só o amor é capaz de te dar e amamente sem pressa. Você e seu filhote só têm a ganhar com isso.
"

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pra quê gastar com brinquedos?

Pra quê gastar rios de dinheiro com brinquedos hi-tech se temos BALDES????

video

Mamãe adorou a "economia" kkkkkkk

sexta-feira, 17 de junho de 2011

No mês do Mamaço, desmame a vista...

Ironia do destino: no mesmo mês que estamos engajados no Mamaço sinto que o Teodoro caminha para o desmame.

Ontem, a noite, em casa, chegou a hora do mamá. Como sempre ofereci o peito pro Téo antes da mamadeira e ele recusou. Sim amigos, balançou a cabeça de um lado a outro e apontava pro Papai na cozinha e dizia: "Papai mamá" diversas vezes. E pra terminar de dilacerar meu coração quando o Cris perguntou: "Tu quer um mamá filho?" ele batia palminhas e dizia "êêêêêê"!!
Devo dizer que dessa vez doeu menos. Lembro que a primeira vez que o desmame me rondou foi bem mais difícil, foi em fevereiro e até contei aqui. Mas dessa vez foi mais tranquilo pensar nisso.

É claro que na hora ainda dei uma insistida, ele até pegou, tomou "meio gole" e voltou a me olhar nos olhos e balançar a cabeça (pausa a coisa mais linda do mundo a cena despausa). Acho que chegou a hora.

O Teodoro já tem 1 ano e 3 meses, se alimenta muito bem e há umas duas semanas passamos a dar leite de vaca pra ele em casa. Na escola ele continua tomando NAN 2, pelo menos até a lata acabar. Resolvemos fazer uma "adaptação" primeiro, apesar dele já tomar iogurte e outros derivados de leite, e tudo está correndo a mil maravilhas.

Acho que isso me tranquilizou de certa forma.

Outro fator importante: está acontecendo um desmame natural, como eu sempre achei que deveria ser. Lembro da minha mãe contando como foi difícil ter que literalmente tirar o "peito de mim" quando ela engravidou da minha irmã, e isso que eu já tinha quase 3 anos! Tenho sempre em mente que as crianças tem um tempo pra tudo, e é necessário respeitar as fases. O Teodoro decide quando não quiser mais mamar. É o tempo dele que tenho que respeitar.

Acho também que o tempo pra mim também chegou, o fato de encarar com mais tranquilidade o desmame é um sinal de que já estou "mais pronta" também.

"Eu me desenvolvo e evoluo com meu filho"
(nunca pensei que citaria uma frase do Marcelo D2 o.O )


---------------------------------------------------------------------------------------

Comentário infame:

PQP ser mãe de guri é f*: tem sempre uma VACA tentando tirar o nosso lugar!!!!

;-)

E a Ciranda continua!

Seguimos participando da Ciranda da Leitura da rede Mulher e Mãe, na sexta passada recebemos o recebemos o segundo livro: "Beééé´" - coleção bebê achou. Um amor de livrinho!


Em cada página tem umas abinhas para o Téo procurar os bichinhos.


E quando acha, ao levantar a abinha certa, faz o som do bichinho que tá escondido!

O Teodoro tá curtindo, o único problema é que as pilhas já não estão funcionando a contento, maior parte das vezes não faz o som.... tentei substituir mas o parafuso do compartimento de pilha já tá com a fenda gasta e não tô conseguindo, inclusive parei de insistir com medo de estragar geral...

Devo esclarecer que pro Téo não faz diferença, com som ou sem! hehehehehe

Ele tá se divertindo até "demais" com as abinhas, ou seja, tá escangalhando com o livro!!!!!

Obviamente não impedi ele de ler e brincar com o livro, mas procuro ficar por perto, afinal a Amanda (amiga da Ciranda) também vai querer ler, né??!

Alguém aí reparou que o Téo não tá nas fotos?? Essa é culpa minha: semana corrida, não deu tempo....

terça-feira, 7 de junho de 2011

E por falar em mamaço...

Antes de começar a me expressar, que uma coisa fique clara: aquém de qualquer visão científica sobre o tema, falo aqui enquanto homem e pai do Téo. O que muito me orgulha, apesar de ter lá minhas desconfianças se o orgulho é uma coisa boa, dado o quanto ele cega os julgamentos das pessoas (nossa, que papo esquizofrênico; foco Cris, foco ;o)).

Um dos motivos que me fizeram apaixonar pela Sherol, foi o fato de ela mesmo sendo 3 anos mais jovem do que eu, parecer ser 15 anos mais “madura” (capaz que ia chamar minha esposa de velha né? Há limites, há limites ;o)). Ela vive me “cutucando”, me instigando, muitas vezes provocando até demais, mas sempre me levando a reflexões que antes eu não fazia. Por exemplo? Ser homem. Isso mesmo, meu papel enquanto homem no meio onde vivo.

Com meus pais, sempre aprendi a ser educado, abrir a porta do carro para as mulheres, ceder assento, honrar compromissos, ter palavra, o que convenhamos não é pouco dado ao que tenho visto por aí. Mas depois de uma mãe ter sido proibida de amamentar no Itaú Cultural São Paulo, e isso graças a Deus ter caído aos ouvidos de pessoas que se mobilizam e que brigam por seus direitos, rolou uma discussão muito polêmica sobre o ato de amamentar em público. E numa das conversas com a Sherol me peguei pensando: “Mas vem cá e meu papel enquanto homem nisso tudo?”

Pois bem, todo esse trololó inicial para dizer que conversando com a Sherol sobre o ato de amamentar em público, nunca me importou que ela o fizesse. E durante essa conversa ela me questionou o que meus amigos achavam disso, se já havia conversado sobre isso com eles, afinal, somos todos multiplicadores. Obviamente não soube responder, pois homem tem disso, a gente sabe a marca da cerveja que os amigos bebem, mas por diversas vezes sequer sabemos seus nomes tratando-os apenas pelos apelidos. Ok, decidi perguntar aos meus colegas de aula, pois para mim era muito claro, quase óbvio, que pessoas instruídas, cursando uma pós graduação, jamais se importariam com um ato simples como esse em locais públicos. Para a minha surpresa, a história não foi bem essa. Não vou entrar em detalhes, mas cerca de 80% da turma (minha turma é formada apenas por homens), se sentiam constrangidos na presença de uma mulher amamentando. Isso mesmo, eles não se sentem a vontade e preferem que ou elas se afastem, ou eles mesmos se retiram do ambiente. É claro que sempre aparecem as opiniões de gente que enxerga mulher como gado, que se “instrui” em programas como o “Pânico na TV” e afins, mas também surgiram opiniões de pessoas sérias, dispostas a debater e pensar sobre o assunto.

A despeito da longa conversa entre meus colegas que repercutiu disso, a conclusão a que cheguei é que temos pontos de vista muito divergentes (gênio!!!). Eu não tenho como enxergar a amamentação em público da maneira que eles a vêem, assim como eles também não enxergam da maneira como eu vejo. Talvez pela maioria deles ainda não serem pais? Ok, pode ser, mas o fato é que, ficamos chovendo no molhado por quase todo o intervalo de almoço e não chegamos a consenso algum. Todos fomos embora com as mesmas opiniões que chegamos, mas assim como a Sherol me faz pensar, fico feliz que pelo menos eles tenham parado para me ouvir e pensar sobre o assunto, assim como eu os ouvi. Não me dei por satisfeito, acho errado, muitas vezes até doentio, mas respeito as opiniões deles, justamente pelo alto nível em que debatemos e afinal, vejo que meu papel enquanto homem era justamente promover esse debate, pois isso nos diz sim, muito respeito. De minha parte, fico surpreso com a maioria significativa do meu pequeno universo universitário que não pensa como eu, e hoje posso dizer que tenho certo conhecimento empírico para apoiar o mamaço (aliás, mamaço em POA no qual eu, a Sherol e o Téo estivemos, vide postagem logo abaixo).
Como esse blog é do Téo, e a idéia não é polemizar o espaço dele, mas registrar nossas memórias para que um dia, se Deus quiser, ele possa lê-las, interpretá-las e se possível considerá-las, segue aqui, meu filho, o que papai tem a dizer:

 “Téo. O ato de uma mãe dar de mamar, onde quer que seja, não deve te constranger meu filho. Pelo contrário, esta é uma das coisas mais bonitas que já vi a tua mãe fazer por ti. Expor seu peito em público para saciar a tua fome sem se importar com o que os olhares de terceiros dirão a respeito, sem se importar que talvez mentes masculinas e quem sabe até femininas, enxergarão sexo onde só existe amor de verdade é uma grande prova de que ela é capaz de se doar a ti, frente a qualquer problema que o mundo lá fora possa te oferecer. A primeira coisa que a tua mãe faz quando tu chegas da escolinha é te dar de mamar. E se por ventura não vamos direto para casa, se passamos num supermercado por exemplo, ela procura um lugar para sentar-se contigo no colo, levanta a blusa e sacia a tua fome, enquanto tu, agradecidamente massageia-lhe a orelha, interrompendo a mamada de tempos em tempos para ofertar tuas risadinhas inconfundíveis de agradecimento. Valorize-a por isso. Respeite-a por isso. Somos todos diferentes filho e tu aprenderás, a duras penas ou não, que a vida consiste no respeito a essas diferenças. Tu não és obrigado a compartilhar da mesma idéia do papai, então se por ventura não aprovares esse ato, não és obrigado a aprová-lo. Basta respeitá-lo. Um beijo de quem infelizmente não pode, também, te amamentar.”


 Cris

#Mamaço em Porto Alegre: NÓS FOMOS!!!

Amigos,

Rolou nesse domingo o Mamaço Nacional, manifestação pacífica e cheia de amor que reuniu mamíferas e mamíferos em algumas cidades para dizer: "Olha só, amamentar é Beleza Pura!!!".

Nossa família mamífera fez questão de participar, fomos a Porto Alegre no Parcão e encontramos o grupo tomando um belo solzinho!

O Téo chegou lá não tava muito a fim de mamar, tava mais interessado em correr atrás de um pombos e passarinhos que pousavam nas redondezas. Mas isso durou pouco, logo ele se juntou aos amigos e pediu em alto e bom som: "mamáááááá".




A mãozinha na orelha é "pré-requisito" em cada mamada (antes ele só alcançava no queixo)

Chegando lá achei que era pouca gente, mas conversando com a Tassiana, que organizou tudo, ela me disse que quase ninguém havia mencionado no Facebook que iria, então aquele número de pessoas podia ser considerado uma vitória. Concordei na hora! ;-)


Parabéns a todos que participaram!!!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

#Mamaço em Porto Alegre: EU VOU!!!


Nesse domingo a mobilização sai da web e invade as ruas!!!

Quando? 05 de junho, domingo.

Que horas? 11hs

Onde? No Parcão (próximo ao Moinho), em POA, e em diversas cidade do país (ver cartaz acima).

Eu vou e convido mamíferas e simpatizantes a participarem, façamos nosso chimarrão e vamos lá!!