segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Muito estilo...

Faltam apenas 2 dias pra ele completar 1 ano de vida, mas é um ano de muito estilo!


;-)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Eu não tô pronta pro desmame. #fato.

Oi gente,

Levei duas semanas para digerir a última consulta do Teodoro e relatar aqui. Fomos ao pediatra no dia 09/02 e só agora sinto que posso escrever aqui algumas coisas....

Vou começar relatando o dia anterior a consulta, terça, dia 08: chorei como criança quando ele mamou no peito e seguiu chorando, querendo mais. Sim amigos, eu, a vaca leiteira, que sempre "sofreu" de excesso de leite fiquei "seca" diante do apetite voraz do meu pequeno. Fiz uma mamadeira de NAN, e sim, chorei. Chorei um choro sentido, parece pouca coisa para alguns mas pra mim foi como se eu estivesse falhando.

Desde a nossa volta das férias o Teodoro tem acordado durante a noite várias vezes pra mamar, o que não acontecia desde que ele tinha uns 3 meses. Ele sempre mamou antes de pegar no sono e ia embora. Como durante nossas viagens ele dormiu comigo, achei que ele andava meio carente, estranhando mesmo o "retorno ao lar". Só que isso tem me esgotado. Durmo mal e isso se refletiu na quantidade de leite que tenho produzido, além do fato de que como ele acorda mais vezes não dá tempo de me recuperar...

Faz umas duas consultas que o Téo não ganha muito peso, na última chegou a "emagrecer" umas 50gr, mas ganhou 2 cm, o que, por hora, me "convenceu" a não pirar. Mas no dia 09, day after ao meu "desespero", a constatação empírica: ele continua sem ganhar peso!

Olha gente, sei que muitos que lerão esse post dirão: ela tá exagerando! Misturando tudo e enlouquecendo!!! Mas aquelas mães de primeira viagem entenderão minhas preocupações.

O Teodoro come bem. Muito bem diga-se de passagem. Além de escolhermos somente alimentos saudáveis ele não recusa nada. Nadinha. Come sempre um prato fundo de comida feliz da vida. E mama bastante, sempre mamou. E porque não ganha peso???? Será que meu leite é fraco???

Opa!

Peraí? Não foi aqui mesmo nesse blog que eu disse que leite fraco não existe???

Sim, amigos, uma mãe a beira de um ataque de nervos "emburrece" temporariamente... Me peguei pensando nisso, acreditam???

Como sempre, a conversa com o Ruy, pediatra do Téo, foi tranquilizadora. Ele acredita que o problema do Teodoro seja o excesso de cocô, isso mesmo meus caros, ele chega a fazer uns 4 cocôs por dia.
Lembrou também que ele agora está na escola, gasta mais energia durante o dia. E isso contribui para o gasto calórico dele.
Sobre as mamadas a resposta dele foi muito simples: saudade. Ele disse com todas as letras: "Ele não tá acordando por fome, ele come bem e mama bem, ele tá é compensando o dia longe de ti". Sabe o leite fraco? kakakak Caiu por terra mais uma vez....

A orientação do Ruy também segue a linha da simplicidade: diminuir as fibras pra ele fazer menos cocô. E incluir uma mamadeira de NAN antes de dormir pra ele me dar um "tempo" durante a madrugada, mas com a ressalva de que o sono deve se re-estabilizar assim que ele se acostumar mais com a nova rotina, com a escola. E também dar janta novamente pra ele em casa, desde que ele entrou para a escola nós dávamos um lanche depois da escola, pois lá ele janta às 17hs, mas ele disse que poderíamos dar um rango pra ele sem problemas, às 20hs. E o peito? Ele foi categórico: "Segue em livre demanda. Sem restrições!"

Lembro até agora das palavras do Ruy: "não temos motivos pra preocupação, o Teodoro é uma criança saudável, está se desenvolvendo muito bem, falando, engatinhando, tentando se levantar e tudo. Temos apenas que ficar alertas." Quase que eu disse: "Sempre alerta, Doutor!"

De tudo isso cheguei a uma conclusão: eu não estou pronta para desmamar o Téo. Sinto necessidade de amamentar ele, adoro o fim do dia, chegar em casa, pegar ele no colo, fazer um chamego e dar mamá. É o nosso momento. É quando matamos a saudade loca que sentimos um do outro. É quando lembramos que um dia fomos um só. Me sinto inteira e revigorada.

Refizemos a rotina do Teodoro e de fato ele começou a dormir mais. Ainda acorda, mas agora nitidamente é só pra "ver a minha cara": chego ao lado do berço e mesmo no escuro ele me olha, vira de ladinho, às vezes dá um meio sorriso e adormece novamente. Ele também parou de fazer tanto cocô. Liberamos a bolacha de maizena e caprichamos na janta às 19:30.

E para minha felicidade descobri que ele também não tá pronto pra ser desmamado: chego em casa e adivinha o que ele quer logo depois de um abraço? Mamar! E alguns dias atrás, ele mamou a mamadeira de NAN e depois quis o peito ;-)

Tô me preocupando a toa? Talvez...

Inventando sarna pra me coçar? Talvez...

Sofrendo por antecipação? Talvez...

Amando loucamente um serzinho chamado Teodoro? COM CERTEZA ;-)

Ensaiando uns passinhos....

Amigos,

As vésperas de completar seu primeiro ano de vida o Teodoro anda ensaiando uns passinhos, ainda tímidos e com o auxílio, mas olha a carinha dele de satisfeito quando "termina" o caminho!

Coisa mais fofa!


video

;-)

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

E o dia do "Tchau, Mamãe" chegou...

Sentimentos dúbios me dominam nessa manhã de terça-feira...

Explico: hoje fui com o Cris deixar o Téo na escolinha e ele pulou no colo da profe Paty e me deu tchau.

Sorte minha que ele ainda não fala "tchau", senão seria pior!!!!!

Por conta da cirurgia que o Cris fez no joelho fiquei uma semana encarregada de levar o pequeno na escola. Nos primeiros dias ele se agarrou no meu pescoço como se eu fosse fugir, teve até um pouco de choro. Mas tudo bem, a profe me garantiu que depois de fechada a porta a coisa ficava mais tranquila. Nos três últimos dias da semana passada o "sinal amarelo" do meu coração acendeu: ele já não mais relutava para ir com a profe.

Mas hoje foi demais! Mal ela cumprimentou a gente ele pulou no colo dela e começou a balançar a mãozinha!

"Como assim tchau meu filho??? Não quer mais ficar com a tua mamãe???!!!!"

Ai... Ai... Ai...

Brincadeiras a parte acho que esse é um momento muito importante para o Teodoro, não faz nem um mês que ele frequenta a escola (vai completar na sexta, 18) e ele se sente seguro lá. E mais: já aprendeu que nós vamos voltar para buscá-lo, que ele não está sendo abandonado.

Ver um filho crescendo seguro e confiante: isso sim "acaba" com o coração de uma mãe ;-)

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Festinha sem açúcar é possível?

Com a entrada do Téo para a escolinha uma das primeiras coisas a acontecer foi a festinha de aniversário!

Primeira providência a ser tomada após receber o convite foi providenciar um presentinho para o amigo (dessa vez um colega de outra turma, a completar 2 anos).

A segunda providência foi aprontar uma marmita pro Téo.

Ué? Se pergunta o leitor: "Marmita?" "Vai levar sanduíche pra banquete?"

Sim caros amigos, exatamente isso.

Optamos por deixar o Téo longe do açúcar pelo menos nos seus 2 primeiros anos de vida, depois disso poderemos até dar, mas sem exageros. Então, o Teodoro para frequentar uma festinha de aniversário regada a muito negrinho e refrigerante tem que levar seu próprio lanche.

Alguns devem estar pensando: "Que maldade! Tadinho!". A questão é que o açúcar, esse branco e refinado que estamos acostumados a consumir e encontramos facilmente nos supermercados são "vazios", não tem nutrientes. A cana-de-açúcar perde todas as suas propriedades depois do processo de refinamento, principalmente para o açúcar ficar branquinho e fininho (alguém já viu rapadura de cana branca?).

Veja, que em nenhum momento disse que o Teodoro terá uma dieta sem "açúcares", esses são indispensáveis fonte de energia e são encontrados em outros alimentos como o leite e frutas, e segundo um artigo do Guia do Bebê são digeridos mais facilmente:

"Os açúcares fazem falta na alimentação, mas fazem parte da dieta habitual e são encontrados, por exemplo, no leite (lactose), nas frutas (frutose e sacarose). Pelo processo digestivo são desdobrados em açúcares mais simples. Por exemplo, a lactose é desdobrada em glicose + galactose e a sacarose em glicose + frutose. O amido das farinhas de cereais e dos túberculos (como a batata) e raízes (como a mandioca) também são desdobrados no intestino em móleculas de glicose. O amido, na verdade, é uma longa cadeia de moléculas de açúcar (de glicose, para ser exato). Em outras palavras: ninguém pode viver sem açúcar, que é uma fonte de energia, mas a dieta normal tem açúcares naturais em abundância, o suficiente para cobrir nossas necessidades. Esse açúcares não nos fazem mal nem provocam cáries, porque suas moléculas são grandes."

E o consumo indiscriminado de balas, chocolates e guloseimas por crianças tem mais um fator que me preocupa bastante: é fácil viciar em açúcar. Pois em nosso organismo ele provoca uma sensação de euforia seguida de um estímulo à produção de insulina, que baixa os níveis de açúcar no organismo, trazendo cansaço, o que te "induz" a comer doces novamente para "recuperar" a energia. O vício, por si só já é algo nada agradável, e o em açúcar provoca a perda de apetite para outros alimentos o que pode tornar a criança, ao mesmo tempo, obesa e anêmica.

E será que vai ser difícil levar esse "plano" adiante? Acredito que não.

Eu mesma não fui criada com muito acesso a guloseimas, uma porque na minha infância essas coisas eram mais caras que hoje (e tb o poder aquisitivo da minha família era bem restrito) e outra porque minha mãe sempre seguiu uma linha mais natureba. Disso resulta que não tenho dificuldade em apresentar outras opções para o Téo: frutas secas, gelatina, sucos naturais e todos os tipos de frutas. Educamos pelo exemplo, e ele com certeza me verá comendo frutas com frequência e prazer.

A "pressão familiar" também é grande. Sempre tem alguém pra oferecer uma bala, um pirulito e etc. Nesse caso resta alertar a todos e ter sempre a mão substitutos saudáveis. Caso típico é a minha avó (no caso, bisavó do Téo): no auge dos seus 90 anos ela costuma oferecer aos netos, e agora aos bisnetos, um pequeno "coquetel" de açúcar: merengue com guaraná!!!
A cena foi a seguinte: o Téo nem bem tinha completado 4 meses, ainda não tinha saído da amamentação exclusiva e ela veio com sua "especialidade" pra ele! E quando eu, delicadamente recusei explicando que ele não comeria açúcar até os 2 anos, ela prontamente me advertiu: "Que bobagem! Assim ele vai ficar fraquinho!". Obviamente, não me dei ao trabalho de explicar os detalhes pra ela, é outra geração e respeito. Fica por conta da minha "modernidade" como ela diz.

Fato é que se tu tem família grande sempre vai ter alguém para questionar essas decisões e implicar, mas com jeitinho e paciência dá pra fazer todos entenderem que a saúde do pimpolho é responsabilidade dos pais.

No caso da festinha fiz uns "negrinhos de banana": com um boleador fiz bolinhas de banana e confeitei com aveia e coloquei nas forminhas de doces. Assim ele não teria docinhos diferentes do que os oferecidos na festa. Providenciei também suco de soja e água de côco, seus preferidos, para ele beber. Como salgadinho comprei bolachinhas integrais bem pequenas, que também cabiam nas forminhas. Pronto!

Acha que deu trabalho demais??
Será que não será pior tentar corrigir um mal hábito mais tarde?
Será que não é melhor "passar trabalho" dessa maneira do que lidar mais tarde com algum problema de saúde?
Enfim, cada cabeça uma sentença... ;-)



Links interessantes e utilizados aqui: