quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Feliz Natal 2011

É claro que não poderámos deixar de vir desejar um Feliz Natal a todos.


Que a alegria do Natal ilumine seu lar e que você possa ter muita saúde para desfrutar diversos momentos de alegria com sua família e amigos em 2012.

Abraços e boas festas: Cris, Sherol e Téo


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Teodoro: artista do ano!!


Como divulgado no post anterior, no último sábado fomos a vernissage na escolinha do Téo. A mamãe aqui nem pôde aproveitar muito porque teve que trabalhar no mesmo horário, mas posso dizer que achei tudo muito bonito. As professoras optaram por expor os trabalhos das crianças sem uma ordem "lógica" tipo: aqui trabalhos do berçário, aqui maternal e assim por diante. Todos estavam literalmente espalhados pela escola: nos muros, nas paredes, nos brinquedos do pátio, nas árvores. E isso deu um toque todo especial à exposição, além de "obrigar" todos os presentes a prestigiarem todos os trabalhos, nem que fosse só pra catar o do seu pimpolho.

Olha como ficou o pátio da escola:
Além das obras, foram expostas também fotos dos artistas em ação:

Nessas o Téo está trabalhando com sua melhor amiga a Antonela (ou "Lai-lai" como ele dizia antes e demorei semanas para ligar o nome a pessoa ;-)
Olha que duplinha mais amada!!!


Mais uns trabalhinhos do Téo, que além de pintor é escultor:



Prestigiaram o evento também o Vô Flávio, a Vó Marta e a Dinda Desi:



 Aqui uma das responsáveis por toda essa inspiração, a Profª Maiéle:


 Adorei essas frases, não sei quem é o autor, desconfio que a primeira seja do Arno Stern:
 "A arte não entra na criança, sai dela."
"Porque não sou do tamanho da minha altura, e sim daquilo que vejo."

E como o artista também é "arteiro" tá ele se escondendo entre as pernas da Vó Marta!

Abraço às Professoras Maiéle e Celi!!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Vernissage!!!

Sim, amigos. O Teodoro vai expor seus lindos trabalhos numa vernissage nesse sábado!
Não lembro se cheguei a comentar aqui mas a escolinha mudou a direção em maio e recentemente mudou até de nome, e como já era de se esperar as mudanças também atingiram o projeto pedagógico, as turmas esse ano, mais precisamente no segundo semestre do ano, passaram a trabalhar com arte. Cada turma teria um artista para estudar. No caso do berçário, a turma do Téo, o artista "base" chama-se Arno Stern. Sei lhufas de arte então perguntei ao "oráculo-google", e descobri que esse cara além de artista plástico é educador, e dedicou (ou dedica) a vida a ensinar e entender o desenho infantil. Achei bem legal! Catei mais um pouco a achei a transcrição da introdução de um livro dele chamado "Aspectos e Técnicas da Pintura de Crianças" que diz o seguinte:

Educar é favorecer a eclosão de valores pessoais. O educador não deve influenciar, mas respeitar os valores pessoais da criança. Quando pinta, a criança é capaz de concretizar as suas emoções, de fazer experiências e de tomar contato com o mundo. Estas faculdades naturais podem tornar-se meios educativos se se criaram condições apropriadas. O educador e os pais devem sempre respeitar as criações infantis. Uma incompreensão, ou desprezo, podem fazer refluir a corrente da expressão e causar graves perturbações. Educar não é influenciar mas também não é deixar fazer. É agir. Porque, se a matéria da educação está na criança, é ao educador que compete ajudá-la a realizar-se. Para a criança, a criação artística surge como objetivo do seu contato com o adulto; mas para este ela é primeiro que tudo um meio. Um meio educativo. A educação artística é a educação pela arte.”

Não me considero uma admiradora da arte, sou até bastante "burra" nesse aspecto, mas compreendo o papel que as manifestações artísticas têm na formação dos indivíduos, trabalho num museu, lembram? hehehehehe

Então vamos ao que interessa, o convite para a vernissage:

Vernissage é coisa de artista não? Muito chique!!!
Só não entendi porque os "patrocinadores" pagam o ingresso mais caro, mas isso é detalhe "mamãe na primeira fila" é o lema!!!

Obviamente tirarei milhares de fotos e depois compartilho aqui!


Sobre o artista em francês: http://fr.wikipedia.org/wiki/Arno_Stern

 

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Aventurando-se a ser pai, num mundo machista

Um dos "machos" lá de casa ;o)


Bom, comecemos assim: o relato que você está prestes a ler, não é uma tentativa de invadir,  desconsiderar ou tampouco desmerecer o universo feminino, principalmente num tema tão delicado que é a maternidade. Que isso fique bem claro, para que você leia esse texto sem “pedras nas mãos”.
Dito isso, vamos ao desabafo: preconceitos existem e o mundo não é perfeito, ponto. De exclamação! Vivemos num mundo machista e preconceituoso contra tudo o que é diferente do padrão tido como ideal. Como não perco essa mania de me colocar no lugar dos outros, vejo o preconceito como uma faca de dois gumes, onde ambos os lados sofrem pressão, claro que em menores proporções. Eu enquanto negro, por exemplo, sofro os pequenos preconceitos do dia a dia (que juntos ficam enormes), e sigo lutando para que o Téo viva num mundo mais igualitário, mas penso que existe pressão também se você for caucasiano, do sexo masculino, de olhos azuis, heterossexual, magro e cristão: já pensou se você “não dá certo”, sendo o “modelo de referência” para todo um sistema constituído? O mundo foi feito pra você brilhar, mas você não brilha, e suprir essas expectativas meu amigo também não deve ser fácil.

Enfim, um desses parâmetros lamentavelmente idiotas tido como padrão de comportamento num mundo machista é de que homem não chora, não lava louça, não arruma a casa, não cuida dos próprios filhos, não troca refil do odorizador do vaso sanitário e por aí afora. Pré-conceitos pipocam por aí por qualquer coisa e cabe a nós mudarmos esse cenário.  Num mundo machista é complicado ser um pai "contra a maré", até porque a mudança de comportamento e mentalidade é muito recente e, muito provavelmente, você fará coisas que seu pai não fazia. E isso não é um julgamento e sim uma constatação. Deixemos a abstração e vamos ao campo prático: seu pai trocava fraldas, por exemplo?
Bom, eu troco. Mas se vou a um restaurante, a um teatro, a um cinema, a um shopping center, dificilmente terei acesso a um fraldário, por que adivinhem, sou homem. E trocar fraldas é coisa de mulher. Minha nossa, quando penso no atraso que é, ainda hoje pensarmos dessa maneira, chega a me dar um desânimo. Prédios antigos até se aceita vai, época diferente, início dos movimentos de igualdade, mas um prédio novo, com fraldário no banheiro feminino, é uma ofensa. Não foram raras as vezes em que eu e a Sherol procuramos um lugar para trocar o Téo, e lá estava ele, escondido no banheiro feminino.  Mas a situação é ainda pior. Existem estabelecimentos, com sites na Internet, que ao enumerarem suas “vantagens”, colocam: Ambiente agradável, com ar-condicionado, estacionamento próprio, banheiro masculino, banheiro feminino com fraldário, etc. Peralá, caso você não tenha percebido querido estabelecimento comercial, isso é um atraso, não conte vantagem de algo assim.
Mas não para por aí não. Vai a qualquer loja de roupas infantis e compara a quantidade de roupas para meninas e a quantidade de roupas para meninos. Ok, aceito que as meninas tenham mais acessórios (brincos, tiaras, etc), mas fora isso, porque a quantidade de roupas para meninas é infinitamente maior do que para meninos? Depois pipocam as pesquisas dizendo que as mulheres são extremamente consumistas, mas pelo que vejo, elas são educadas para isso.

Para resumo da história, volto ao ponto inicial. Não estou levantando a bandeira de que homens sofrem por viverem num mundo machista. Estou dizendo que preconceito, é sempre ruim para ambos os lados. Seja homem num mundo machista e você nunca estará livre para chorar em público, não receberá a carinha de gratidão do seu filho por trocá-lo no Shopping e o vestirá sempre com as mesmas roupinhas básicas que as lojas ofertam, sem nem um terço das opções que as meninas possuem, entre outras situações claro que poderiam ser ilustradas aqui, mas creio já ter deixado claro meu ponto de vista.
Fico imaginando, com um misto de bizarrice e indignação, se por ventura a tarefa de cuidar do Téo e da casa fosse exclusivamente da Sherol. Quinta a noite, 22hs, ela chega em casa e o Téo está cagado há pelo menos 3hs, pois eu e ele chegamos as 19hs. E com fome. Mesmo tendo chegado em casa com ele antes da mamãe, não dei banho, não dei comida e muito menos atenção, pois isso é coisa de mulher. Depois que ela entra, é bom se virar com o Téo rapidinho pois apesar do jantar sair atrasado, ainda espero pacientemente por ele, senão a briga vai ser feia. Gente, pelamor...

Não estar sensível ao sentimento dos outros, ser intolerante, egoísta, é o que mais mina um relacionamento na minha opinião. Atitudes machistas não entram lá em casa, pelo menos não conscientemente. Não só para o bem do Téo, mas do nosso relacionamento também. Há dias atrás vi uma frase que você também já deve ter ouvido: "Antes de deixar um mundo melhor para os seus filhos, que tal deixar filhos melhores para o mundo?"

Já estou fazendo a minha parte.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Noivado dos dindos

Festaaaaaaa!!!!

No final de semana passado foi a festa de noivado dos dindos Rick e Desirée. Adivinha? Festa a fantasia. O Téo, que nas primeiras tentativas não quis vestir a fantasia, curtiu horrores depois de ver que papai e mamãe também entrariam no clima. Eis o Super Trio:


Ois noivos, ou melhor, "A Bela e a Fera" trocaram alianças e fizeram uma festança muito bacana.


Nosso pitoco já está entrando no clima do papai e da mamãe, na qual festa boa tem que ter família envolvida ;o). Ele se divertiu, mandou beijo, brincou com o Pateta, distribuiu "sorrisos pra foto"...


 ... rolou com a vovó...
 

... e é claro, depois de tanta diversão, um mamá e um xoninho ;o)

Como não poderia deixar de ser, acompanhado do Pateta. É claro que depois disso tudo, os papais ficaram assim:



Essa foi muito boa, aguardemos a próxima.


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ai que Amor!!

Agora a versão em vídeo do que comentei antes aqui, o Téo agora olha pras coisas/pessoas e diz "Que amô-ê"!!!


Coisa mais fofa!!!

Que amor!!!!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Dia das Crianças: diversão é o que vale!!!

Este é o segundo dia das Crianças do Téo, e nos divertimos a valer!!

O dia começou com uma festinha organizada pela Tia Nilza e pela Dinda Cláudia, como nós tínhamos uma festa no condomínio curtimos "apenas" o churras bem pegado feito pelo Dindo Eduardo.

Lá pelas 15hs voltamos pra casa e o Teodoro se acabou na piscina de bolinhas!!!


Cadê Teodoro??? kkkkkk
ACHEI!!!


Juro que nada no mundo paga ver essa carinha, NADA!

A diversão seguinte foi se aventurar na cama elástica. Na primeira tentativa o Téo não curtiu muito, subiu e começou a pular, mas quando entrou um outro guri e ele não conseguia mais ficar de pé perdeu a graça hehehehe.

Então adivinha quem veio socorrer??? MAMÃE! Que agora oficialmente é uma mamãe-canguru!!!


Tá bom, tá bom... Acho que eu me diverti mais.... kkkkkkkkk

No final do dia obviamente retornamos pra festa na casa da Tia Nilza. Já contei pra vocês que o Teodoro agora sabe fazer "sorriso de foto"? É hilário! Tu aponta a câmera na direção dele e pronto, tá lá um sorriso. E a coisa já tá tão automática que olha ele aí "estragando" a apresentação da Antônia com a seu lindo sorriso de foto:



Dia das Crianças se divertindo e sorrindo: não tem preço!!!



Pra quem não lembra ano passado foi mais cultural: aqui

Pra quem ficou se perguntando "E os presentes?", respondo: eles são coadjuvantes... E isso é assunto pra outro post ;-)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

1 ano e 7 meses: FALANDO LOUCAMENTE!

Gente,

Algo dentro de mim sempre me disse que teria um filho tagarela, mas o Teodoro está superando as expectativas!! Ele fala TU-DO! E a cada dia melhora a pronúncia das palavras e constrói frases mais elaboradas.

Há umas duas semanas ele estreou o "é meu!", era um tal de "é meu!" pra lá, "é meu!" pra cá. A melhor foi quando tive que passar a roleta do ônibus com ele (geralmente sento nos bancos da frente) e a cobradora se ofereceu pra me ajudar com as bolsas, levantei as duas bolsas, a minha e a dele e pus em cima da mesinha da cobradora, e quase no mesmo segundo ele disparou uma centena de "é meu!" intercalados com "é meu bolsa!" aos berros! kkkkkkkk Assaltantes: eu tenho um alarme infalível! kkkkk

Quem me conhece sabe, sou muito tagarela, falo pelos cotovelos, mas não é só a genética que está envolvida nesse processo. Acredito que o Teodoro esteja desenvolvendo bem as habilidades de fala graças ao estímulo. Eu converso e "narro" as coisas para o Téo desde que ele nasceu. Nossas conversas começaram no hospital, a primeira coisa que disse pra ele foi "Seja bem-vindo meu filho". Durante a licença maternidade mudamos de casa e fiquei um bom tempo as voltas com montagem de móveis e pequenos ajustes na casa nova, e adivinhem quem acompanhou tudo? Teodoro, que não só estava lá presente mamando sem parar como era "informado" de cada passo!

E antes que alguém ache que estou "exagerando" ou "forçando a barra" vou esclarecer um ponto, o meu ponto de vista: eu acredito que estímulo é apostar no potencial revolucionário que uma criança tem, na capacidade quase infinita que uma criança bem pequena tem de aprender. Meu exagero está em levar as raias da loucura o "dar atenção" ao Téo: ele nunca fica sem resposta, faço questão que cada vez que ele fala ou balbucia alguma coisa perceba que estou ouvindo e entendendo, pelo menos tentando entender. Nunca desperdiço uma chance de falar uma palavra nova pra ele, uma cor, um objeto. Mais do estimular ele a falar, acho que tenho que estimulá-lo a se comunicar. Cada loco com sua mania, essa é a minha! kkkkk

Para as mamães que estão aflitas com seus filhotes "quietinhos" eu só tenho dois conselhos: primeiro certifique-se com ao pediatra e até um fonoaudiólogo se está tudo bem clinicamente; segundo, experimente incluir a comunicação falada junto a corporal. Como assim? Se seu filho tem mais de 5 ou 6 meses tenho certeza que ele consegue "dizer" de alguma forma se quer água, mamá, comida e etc. Aproveite esses momentos e enuncie as coisas: "Você quer água? Ó, toma aqui a tua água." Em seguida muna-se de paciência faça a pergunta e espere ele/a responder, aí vale qualquer resposta, bater palmas, balançar a cabeça e dar gritinhos. O próximo passo e soletrar e pedir que ele/a repita "á-gua". Sem esquecer de comemorar quando algo parecido com isso sair da boquinha mais amada da casa. Parece simples? kkkkkkk Não é amiga, não é. Isso leva tempo e paciência. É bem mais fácil alcançar logo o copo de água... mas dizer que não é fácil não é nenhuma novidade pra você né mamãe? ;-)

Posso dizer que cansa mas é ótimo. E o melhor resultado disso não é ter um filho "inteligente", é ter um filho autônomo e seguro. Dominar a linguagem falada é um grande passo rumo a essa autonomia, é o que vai permitir que seu filhote se comunique com outras pessoas que não sejam papai e mamãe.

Outra coisa boa dessa fase do Teodoro é a "papagaice". Que pode ser para o bem e para mal...
Sou super boca-suja, então não preciso dizer pra vocês que larguei um sonoro "p*rra!" assistindo um jogo de basquete e que meu lindinho saiu repetindo pela casa todo alegre e contente....
Mas a fofura mais recente do  Teodoro é o "que amor!". Acho que ele houve isso tanto, "Que amor essa girafa!" "Que amor esse guri!" que agora ele deu pra olhar pras coisas e dizer "que amo-ê!" com a mesma entonação! Essa inda não conseguimos filmar, mas assim que der posto aqui.

Por enquanto fiquem imaginando: "Que amô-ê"

;-)


Link interessante: coletânea de dúvidas sobre fala no Babycenter Brasil

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Finalmente BPA proibido no Brasil

Antes tarde do que nunca: entrou em vigor uma resolução da ANVISA que proíbe a fabricação e importação de mamadeiras que contenham bisfenol A (BPA).

Nós, aqui em casa, já tínhamos adotado plásticos sem bisfenol em todos os utensílios do Téo (falamos aqui), mamadeiras de vidro e nada de plástico no microondas!! E algumas pessoas (umas próximas e outras nem tanto) acharam um cuidado excessivo, uma bobagem. Bueno, agora é oficial, bisfenol A está proibido também no Brasil. Foi proibida a fabricação e importação de produtos, e os fabricantes/importadores tem 90 dias para se adequar e os produtos "em estoque" podem ser comercializados até 31 de dezembro.

Porque foi proibido? Nos últimos 10 anos várias pesquisas e estudos sugerem que essa substância, mesmo em quantidades muito pequenas pode ser prejudicial a saúde, afetando principalmente o desenvolvimento dos bebês e, segundo o site O tao do consumo, "simula no organismo a ação do hormônio estrogênio, podendo causar desequilíbrio no sistema endócrino. Estudos em animais mostram que a contaminação dos alimentos por bisfenol pode provocar puberdade precoce, câncer, alterações no sistema reprodutivo e no desenvolvimento hormonal, infertilidade, aborto e obesidade." (daqui)

Parece o fim do mundo né??!! Foi por causa de informações como essa e a proibição em muitos países que aqui em casa abolimos o BPA da vida do Téo!

Mas não se desespere! A questão é que agora que tu já sabe, vamos tomar atitudes para evitar a contaminação, não fique remoendo....

O objetivo principal desse post é dar algumas dicas, principalmente porque ficaram de fora da proibição outros utensílios de plásticos usados por crianças como copos, pratos e talheres. Logo, continuarão sendo produzidos com bisfenol A...

Então o quê fazer?????

Aí vão as dicas: o bisfenol está presente nos utensílios feitos em policarbonato. Então, não deixe de ler os rótulos. Tá bom, sei que ler coisas do tipo "poliesterol de esteril da pqp" não ajuda muito, então vai a segunda dica: como identificar os rótulos!!

Primeiro temos que catar a composição do utensílio, prefira utensílios de polipropileno (PP) e polietileno (PE), se isso não estiver claro preste atenção naquele número que aparece entre as setas em triângulo, ele indica a composição: evite os números 3, 6 e 7. Assim ó:

Imagem daqui

Ás vezes no meio das setinhas tem inscrito PP ou PE, então também vale.

A Sanremo, marca mais encontrada nos "1,99" por aí divulga em seu site (aqui) que todos os seus produtos são BPA Free, o que já é um alento.

Outra questão importante: a contaminação se dá quando o plástico é aquecido, então esquente os alimentos em pratos e vidros e depois passe para o utensílio de plástico se for o caso. Em casa utilizamos pratos e potes de vidro com tampa (os populares "marinex") para as comidinhas do Téo, e adotamos o não aquecer plástico no microondas para todo mundo. Não gastamos quase nada com isso, nas Americanas, ou em qualquer bazar tu pode encontrar potes de vidro bem em conta.

Então, não custa nada prevenir!!!

;-)

ANVISA

Site muito legal sobre o assunto: O tao do consumo. Foi de onde tirei a maioria dessas dicas!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Dia dos pais 2011

E chegou o dia dos pais ;o). E passou o dia dos pais e eu, para variar, coloco post atrasado no blog do guri ;o( . A propósito, este foi meu terceiro dia dos pais, uma vez que o primeiro foi computado quando o Téo ainda estava na barriga da mamãe. E então, qual o balanço desses 2 anos de paternidade? Magnífico. Muito bom mesmo e hoje entendo o porque dizem que antes de morrer temos de escrever um livro, plantar uma árvore e ter um filho (só não entendi o raio do livro e da árvore ainda). Eu sei que não deveria, mas como andamos presenciando cada coisa ultimamente, quero deixar claro que a frase anterior entre parênteses foi irônica ;o)
Enfim, piadinhas sem graça a parte, o mês dos pais foi de episódios memoráveis, como o dia em que pegamos o Téo na escolina e de lá rumamos para a casa do dindo Du comemorar seu aniversário. Ao voltarmos para casa, ali pelas 00:30hs, abrimos a agenda da escolinha e lemos o bilhete dizendo "Favor mandar AMANHÃ a mão e o pé do papai pintados nessas folhas", acompanhado de uma tinta têmpera verde. Pois é, já estava chegando o mês dos pais e a escolinha estava preparando uma atividade para as  crianças e precisavam do pé a da mão do papai para poder realizá-la. Meu olhar de "MEL DELS, são 00:30hs e preciso levantar para trabalhar as 5:35hs, preciso mesmo pintar o pé agora??" foi rapidamente repelido pelo da mamãe que dizia algo como: "Pinta esse teu pé agora ou eu mesma vou arrancar ele de ti pra pintar". Enfim, eis minha expressão de satisfação:
Abaixo, um dos resultados, o pé 43 do papai:

Brincadeirinha! Maldades a parte, esse ano ganhei presente na escolinha também, um cobertor para o Téo e o papai se aquecerem enquanto estiverem no sofá; cobertor aliás, que foi sequestrado pela mamãe. Abaixo, a foto na escolinha, com as profes. (e com a girafinha Estefani, claro). Vamos combinar que pintar o pé a qualquer hora da madrugada vale o sorriso desse guri.

Falando um pouco agora sobre como tem sido a experiência de ser pai e entrando num papo mais filosófico, não sou uma pessoa que desenvolveu seu lado espiritual, sendo esse um dos milhares de itens a ser trabalhado na minha listinha de "Coisas que devo melhorar / aprimorar / desenvolver / perdoar / me desculpar, antes de fazer A passagem" ;o) Ainda assim, fico maravilhado com  o aprendizado de vida que o Téo tem me proporcionado, principalmente no que tange ao desenvolvimento das minhas habilidades como pai e principalmente como filho, que por alguma razão creio terem explicações divinas. Isso sem falar nas coincidências que mesmo a genética explicando, me deixam embasbacado, como o fato de fisicamente encher a ponta do nariz e o bigodinho com gotículas de suor, ou emocionais como ser carinhoso,  beijoqueiro e teimoso feito mula (características inconfundíveis do papai).

Essa proximidade que estou desenvolvendo com o Téo, me faz lembrar de coisas que gostaria de ter feito com meu pai e que infelizmente na época não foram possíveis e que hoje são inviáveis, como jogar bola, por exemplo. Ria a vontade, mas meu principal sonho na vida hoje é disputar uma partida de basquete de praça ao lado do meu filho. O que?? Simples assim? Pois é, simples assim. 

É claro que todo o pai quer o melhor para o seu filho (ou pelo menos, deveria querer), e não sou diferente. Mas não projeto o Téo como um astro da música, um jogador de futebol famoso, um astrofísico de sucesso ou o primeiro presidente negro do Brasil. Projeto o Téo como uma pessoa de caráter, saudável fisica e emocionalmente, que saiba amar, que tenha responsabilidades, que seja amigo e parceiro e que, uma vez que tenha desenvolvido essas virtudes, seja feliz da maneira que quiser. Vou me esforçar ao máximo para mantê-lo longe das drogas e para dar-lhe amor, estudo, educação, acesso a atividades culturais e esportivas. Qualquer coisa além disso serão decisões que ele mesmo deverá tomar e que definirão o rumo da sua vida. Só estarei lá para dar suporte ou ficar feliz por ele, e continuar me encantando com os mistérios da vida que se repetem por diversas gerações numa família. No final das contas, tirando os devaneios de pais que querem transformar os filhos em máquinas do sucesso, ver seu filho saudável e feliz é o que todo pai quer.

Ah e a propósito, talvez meu sonho não seja assim tão simples; talvez ele não goste de basquete mas de golfe, vai saber. O importante é que mesmo que meus sonhos e minhas humildes projeções para com ele não se realizem , se ele for capaz de encarar a vida com esse sorriso, vou estar sempre lá pra aplaudir.
Pai do Téo - Ano 2 ;o)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Guarda-guarda

Desde que entrou pra escolinha o Téo conhece a música do "guarda-guarda" que serve pra "animar" a galerinha miúda a juntar os brinquedos espalhados.

Aqui em casa a bagunça é geral, mas de vez em quando eu entoo o mantra pra ver se pelo menos o Téo se salva!

Ontem até consegui filmar, olha que coisa mais fofa!



Não sei até quando vai durar, mas "que seja eterno enquanto dure" hehehehehe

1 ano e 6 meses depois!!!

Semana passada nosso pimpolho completou 1 ano e 6 meses, datas "redondas" são marcos, e como também faz tempo que não posto nenhuma novidade por aqui resolvi usar esse pretexto e fazer uma pequena atualização para aqueles que acompanham esse humilde blog e o desenvolvimento do Teodoro ;-)

Falando sem parar!

Faz pelo menos um mês que o Teodoro resolveu falar pelos cotovelos. Costumava brincar que ele falava algo que não é português, mas falava. Agora ele está se aproximando de algo como um "dialeto" de português: é possível identificar rapidamente ao que ele se refere, além do efeito papagaio! No sábado que rolou o UFC Rio foi ótimo, estávamos assistindo as lutas e no meio de uma das lutas o Cris disse: "Toma!", imediatamente Téo olha pra nós e sorridente grita: "To-ma!" bem direitinho!! Minha maior preocupação agora é com a minha boca suja... Não vai demorar pro guri sair por aí dizendo car%$#, PQP e outras pérolas minhas!! :-|

Fazendo manha...

Para aqueles que acreditam que criança pequena não entende as coisas devo alertar: entendem até demais! O Teodoro sabe exatamente o que quer e como conseguir! É impressionante como esse pitoco de menos de 1m tenta se impor. Basta dizer não pra ele e a primeira reação é jogar tudo no chão. Depois chorar. E insistir. Insistir. Insistir. Insistir. Insistir. Insistir..... Haja paciência!!!

Carinhoso!

O Teodoro é muito amoroso. Distribui beijinhos por onde passa e adora dar abraços! Qualquer semelhança com um tal de Cristiano, não é mera coincidência!

Conhecendo o próprio corpo.

O Teodoro já sabe nomear as partes do corpo (olhos, nariz, boca, braço e o preferido, pé) e já está desenvolvendo muito bem a expressão corporal. Ele já imita movimentos, ontem mesmo ficava erguendo a perna junto com Cris enquanto ele fazia alongamento depois da corrida e hoje pela manhã ficava olhando pro pulso junto comigo, checando o relógio! Uma graça! Acho isso um marco muito importante, e nessas horas agradeço por termos tido a oportunidade de ter vindo morar numa casa, com espaço para o Téo correr, acredito que isso contribua muito para o desenvolvimento dele.

Dançarino!

Desde muito cedo o Teodoro curte música. Muito cedo mesmo: lembro dele pitoco, não conseguia nem sentar sozinho e já se balançava! Tem um vídeo aqui dele "cantando" Tim Maia no auge dos seus 3 meses de vida!!!Temos alguns vídeos dele bailando, quero ver se tiro um tempo pra organizar e postar aqui. Quem já viu ao vivo sabe, meu filho é um dançarino de primeira!!!

Por hora deixo vocês com essa palhinha....


Não é a coisa mais linda gente?!!!!

;-)

sábado, 3 de setembro de 2011

Home alone com o papai ;o)

E eis que o dia tão temido chegou: Pai fresco sozinho com o filhote, por 3 dias e 4 noites. Não, antes que você pergunte, nunca tive medo de ficar sozinho com o Téo, só coloquei essa frase introdutória para criar um falso clima de suspense mesmo ;o)

É claro que fiquei apreensivo, isso não há como negar. Já havia ficado sozinho com o Téo por muitas vezes. Mesmo quando ele tinha poucos meses, já saíamos sozinhos, justamente para fortalecermos nosso vínculo (e dar uma "folga" na rotina da mamãe, permitindo-lhe algumas horas de sono). Também por muitas vezes ficamos sozinhos em casa, porém sempre sabendo que num determinado momento do dia, mamãe como um pássaro, como um avião, ou como a Mulher Maravilha, abriria a porta de casa para encher o coração do meu pitoco de alegria e dar mais segurança ao papai, mesmo que fossemos ambos pais frescos. Os banhos do Téo desde o nascimento e ainda hoje, são responsabilidade do papai, mas ficar absolutamente sozinho com ele, seria cruzar uma fronteira do aprendizado ;o)

Não sou do tipo que compara homens e mulheres. Somos diferentes e simplesmete aceito essas diferenças. Assim sendo, não teria condições de comparar pais e mães, pois eles são diferentes. Se analisarmos o conjunto da obra, eles desempenham os mesmos papéis mas de maneiras diferentes e cabe a cada um saber aceitar essas diferenças ou sofrer as consequencias (que geralmente serão refletidas nos pimpolhos). Isso tudo para dizer que a Sherol tem o triplo da minha paciência, e sabe lidar muito melhor com as situações conflitantes do que eu (pelo menos no que se refere ao Téo ;o)). E minha preocupação nunca foi a troca de fraldas, o dar de mamar, as responsabilidades envolvidas na rotina diária, mas sim o fato de não ter habilidade suficiente para acalmá-lo nas "crises" de choro, pois o Téo é de uma sensibilidade ímpar, e quando ele está a fim de chorar, sai de baixo, só o cheiro de mamãe para acalmá-lo.

A Sherol se ausentaria no domingo a noite e voltaria na quinta pela manhã. Antes da viagem, tanto eu, quanto a Sherol, explicamos para o Téo que mamãe se ausentaria por um tempo e acreditem quando digo para vocês que, a despeito da carinha de "O que vocês estão tentando me dizer?", ele entendeu tudo perfeitamente. E já na primeira noite a surpresa: Eu sempre achei o Téo uma criança doce, tranquila, cheia de alegria, mas ele é muito mais doce e muito mais tranquilo do que eu poderia imaginar. É costume dele, nas vezes que dorme na nossa cama, agarrar as orelhas da Sherol e colar o rosto no dela para dormir. Eventualmente ele faz um carinho na minha orelha também, mas rapidamente, como se dissesse: "Ok papai, fica com ciúmes não pois tem carinho para as orelhas suplentes também", e logo vira pra Sherol e dorme atracado nas orelhas dela.  Naquela noite, ao ver que mamãe não estaria na cama, ele vira pra mim, agarra as minhas orelhas, repete umas 10 vezes "pa-pai", cola o rosto no meu e dorme (e eu achando que não tinha como ser mais feliz...). 

No dia seguinte levantar cedo, vesti-lo e levá-lo para a escolinha sozinho. Problemas? Nenhum. Tirando o fato de ele virar de bruços quando lhe tirava a calça para a troca de fraldas e umas manhazinhas normais de quem está levantando as 6hs da matina, tudo certo. Bastavam uns beijinhos no nariz e a tranquilidade e o soninho voltavam a reinar. Ao fim do primeiro dia, depois de buscá-lo na escolinha, tomarmos banhinho, comermos o papá e ficarmos abraçados no sofá antes da mamadeira, decidi passar pelo teste de fogo: ligar para a mamãe!!! E adivinhem? Ao ouvir a voz da Sherol no telefone, ele abriu um sorrisão, chamou a mamãe, e após a explicação de que a mamãe não vinha, beijou o telefone virou pra mim e soltou: "Papaiii, mamá". Não é um amor esse guri?!

Enfim, foram dias muito tranquilos, onde essa rotina se repetiu por diversas vezes e só pude comprovar o que já desconfiava: meu filho é um queridão ;o) Mal posso esperar para repetir a dose. Abaixo, uma foto do como ele fica de manhã quando o estamos vestindo para ir à escolinha.


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Cama compartilhada pode?

Há alguns meses atrás minha resposta seria rápida e rasteira: NÃO, NÃO PODE!!

O que mudou? Tudo.

Como sempre.

Andei me enganando, dizendo a mim mesma que o Téo fez "morada" em nossa cama por causa do frio. Mas acho melhor confessar: o Teodoro atualmente dorme metade da noite na cama dele e a outra metade na nossa! E isso é sim cama compartilhada!!! o.O

Tô há tempos querendo escrever aqui sobre isso, então embalada pela #festanotwitter de ontem que tinha como tema o sono dos bebês e também atendendo a uma convocação de blogagem coletiva resolvi abrir meu coração ;-) Tudo "culpa", como sempre, das gurias da Rede Mulher & Mãe!

O Teodoro sempre dormiu bem, exceto em alguns episódios de nariz entupido, sempre dormiu a noite toda. Nos seus primeiros quatro meses, enquanto eu estava de licença, ele gradativamente foi reduzindo as mamadas noturnas. Ele sempre foi um bezerro, no primeiro mês mamava de hora em hora, sem folga a noite. Aos poucos foi reduzindo, dormindo mais... até mamar às 22hs e depois só às 6h da manhã. Com isso retomei minha rotina de sono em seguida. Não dei mamá pra ele deitada quase nunca (acho desconfortável), e mesmo quando acordava de madrugada eu levantava e sentava na poltrona pra dar mamar e recolocava ele na cama.

Logo quando eu voltei a trabalhar às vezes ele acordava um pouco mais cedo, tipo 5hs pra mamar. Mas acho que isso se deve muito ao nosso distanciamento diurno. Então encarei na boa. Até ele completar 7 meses e pouco ele ficava em casa com uma babá. Eu acordava pouco antes das 6h, tirava leite pra deixar pro dia e dava o peito pra ele mesmo que "meio dormindo", e ele voltava a dormir. Durante o dia ele tirava uma ou no máximo duas sonecas de 1h, e as noites seguiram tranquilas.

Quando foi pra escolinha, em janeiro e já com 10 meses, por alguns dias ele tb acordou a noite querendo mamar, coisa que já não fazia há meses, mas isso durou uma semana mais ou menos. Depois, noites tranquilas. Foi em janeiro também que ele começou a "gostar" de dormir junto, fomos viajar pra praia eu, ele e minha mãe, e não tinha berço no quarto.

A fase que mais durou foi a do "Mamãe você tá aí?": ele choramingava no berço e só retomava o sono depois de eu ir lá fazer um chamego. Não precisava nem tirar do berço, e também não adiantava ser o papai. Ele tinha que olhar a minha cara, sentir meu cheiro. Essa foi a fase mais cansativa.... Tinha noites que eu ficava de bunda pra cima, toda encurvada só pro belezinha ficar agarrado nas minhas orelhas! Minha coluna ficou em frangalhos!

Somou isso mais o frio e a cama compartilhada entrou no repertório com mais frequência. Aqueles que moram no RS sabem do que tô falando: 0°C na madrugada é de doer!! Nisso ele já tava com mais de 1 ano e eu já bem cansada de levantar e com frio!

Eu nunca gostei de cama compartilhada. Morria de medo de sufocar o pequeno, e as estatísticas desse tipo de acidente são assustadoras (não achei link, mas minha mana enfermeira fazia a "gentileza" de me atualizar)!!! E também acredito que é um momento do casal, de dormir abraçadinho, e da mamãe descansar. Parece egoísmo isso, mas é a real: o Teodoro precisa de mim inteira, e pra isso acontecer preciso dormir e preciso do chamego do marido.

Mas atualmente não tenho saco pra levantar no frio e fazer o Téozinho voltar a dormir. Fora que ele é inteligente, já sabe do esquema e nem chora, só chama "Mãe, Mãe, Ma-mãe" e pronto, levamos ele pra nossa cama.

Mas o que é isso???? Onde foram parar os meus princípios???? kkkkkkkk


O fato é que isso não me incomoda mais tanto quanto antes. O Téo dorme bem, não faz manha demais (só a quantidade aceitável ;-) e isso na verdade é o que importa. (E agora correr menos risco de ser sufocado! hehehe) Tenho a primeira parte da noite pra dar uma descansada, agarrar bem o marido e depois lá vem ele ;-)

Para as mamães aflitas devo dizer que não usamos nenhuma técnica mágica, nunca sequer aplicamos todo o ritual da shantala (que fizemos até curso!). Desde cedo o ritual de dormir é o mesmo, e é bem simples: mamada e cheiro de mãe. Antes no peito e agora na mamadeira, mas sempre no meu colo, agarrado nas minhas orelhas, com muitos beijinhos e carinho. Incluí nesse ritual uma escavada nos dentes, sei que antes de mamar não adianta muito, mas insisto pra criar o hábito. E só. Acredito que cada família descobre com tempo e paciência o que lhe é mais confortável. Se tivesse que dar uma dica, seria essa.


Pretendo aos poucos ensiná-lo a dormir sozinho na cama. Acho que isso vai ser mais complicado, pois somos muito agarrados, ele até já dorme depois de mamar, não só durante o mamá como era de costume, mas não se não estiver no colo e de preferência agarrado nas minhas orelhas. Mas isso não me incomoda, é bom pra mim também, pra relaxar e curtir a cria.

Até agora tem funcionado deixar as coisas correrem naturalmente, aos poucos ele mesmo não vai mais querer ficar no colo, ou pular pra nossa cama (#fé). Acredito mesmo que gradativamente ele vai se desvencilhando dessas coisas, talvez no verão quando ficar no colo já não é tão confortável eu passe a dar o mamá e levá-lo pra cama mesmo sem que ele esteja dormindo, e talvez com algum bichinho de transição (provavelmente a Estefani, sua girafa predileta) no início pra facilitar. Mas isso são planos, se vai dar certo nem Deus sabe ;-) Como diria @maedemerda "Ser mãe é cuspir pra cima"

;-)

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Pequeno complemento ao dia dos avós

Minha homenagem atrasada (ou melhor, mega atrasada) ao dia dos avós que passou em 26/07.

Antes, um pequeno relato de quem são essas pessoas tão maravilhosas. Como a Sherol já comentou com toda a propriedade, minha sogra, Marta Janete (pronuncia-se Marta Djanet ;o)), é escorpiana (e creio que isso basta como definição). Ok, ok. Minha sogra é faca na bota! (Hummm, tô achando que isso está longe de uma boa descrição, vou me esforçar mais...). A vovó do Téo por parte de mãe, como toda escorpiana, é uma mulher forte, que nem de longe faz o estilo "mulherzinha". Pelo contrário, pode-se dizer que assim como a filha, tem o poder de mover montanhas, sem nunca deixar de ser a pessoa mais amável do mundo (óóó, tô no caminho certo hein sogrona?!). Deixando a puxação de saco no blog do guri de lado, é uma pessoa que mudou absolutamente minha concepção do que o termo "sogra" representa, e olha que nunca fui uma pessoa de difícil convivência. Como já disse diversas vezes, é uma irmã mais velha, que construiu comigo uma relação durante esses sete anos, de dar inveja a muito genro e nora por aí. Te amo Beth Carvalho (ó o abuso ;o)).

O vovô do Téo, o pai da Sherol, Hércio Luís, que compartilha comigo a delícia e a desgraça que é ser pisciano, e o "vôdrasto" do Téo, Dirlei, são dois vovôs que merecem também meus parabéns. Não só pelo dia dos avós, mas pela ombridade, e pela grandeza que sempre demonstram, fazendo com que o círculo familiar se mantenha harmônico, em função do bem estar dos filhos e netos. Não sei se teria tamanha grandeza de espírito e faço questão que o Téo aprenda com eles.

Quanto aos avós paternos, bem, meus pais não eram do tipo que deitavam no chão para brincar com os filhos, e tampouco fazem isso hoje em dia com os 8 netos. O que não os desqualifica como pais e avós perfeitos.
Minha mãe é daquelas que me olha e sabe quantos espirros eu dei no dia, se bebi, se almocei, se topei o dedão do pé na mesa ou se estou mentindo. Já estou com 33 anos e tenho um filho de 1 ano e meio, mas ela jamais perde a oportunidade de me avisar se estou com a camisa manchada ou unhas dos pés mau cortadas ;o) Nunca, jamais leva desaforo pra casa, e creio ter sido dela que herdei esse gênio "meigo" e essa habilidade de sempre contra-atacar ;o) Habilidade que para alguns incomoda, mas que me é muito útil. Costumo dizer que não precisei servir a nenhuma instituição militar, pois o General estava lá em casa e atendia pelo nome de "mãe" hehehe. Mas que bom que foi assim. Sempre que vejo essa gurizadinha nova se perdendo, seja no mundo das drogas, seja nas atitudes inconsequentes, logo me vem à cabeça que faltou uma dona Zilá na vida do sujeito. E é claro, como era de se esperar, meu amor por ela é muito grande justamente por ela ter sido dessa maneira. Mãe que se importa contigo, é justamente aquela que te diz não, que te educa, que te mostra certo e errado. Mãe absolutamente permissiva está passando qual mensagem pro seu filho? De certa forma chega a ser cruel, pois o mundo não te dá tudo e não te diz "sim" sempre. Obrigado mãe e parabéns pelo teu dia. 

Já meu pai é daqueles caras que compreendem a vida como ninguém. Fica na dele, não é de muitas amizades, é bem humorado mas não é de muitos sorrisos. Entretanto é sempre o primeiro a chegar para dar uma mão, quando os problemas acontecem. Não que eu o solicite muito, mas ele simplesmente não consegue evitar. Meu pai é cara que fica só ouvindo a conversa e quando tu menos espera ele larga uma que te faz rir o dia inteiro. Enfim, se eu conseguir ser pro Téo, 1/10 do que ele é pra mim, o Téo já está no lucro. Me lembro que numa das 4.674.674 crises adolescentes, nem lembro se por alguma namoradinha ou se por um objetivo não alcançado, mas que também não vem ao caso, ele com aquela parcimônia de sempre, me larga uma que jamais vou esquecer: "Tu pode procurar o quanto tu quiser aí fora. Ninguém nesse mundo te ama mais do que eu". Caraca, Bingo!  Meu pai deu uma de Luís Fernando Veríssimo (que na minha opinião é o cara que resume tudo o que você gostaria de dizer mas nunca soube como) e me deu de bandeja um dos enigmas da existência. Amor de pai e mãe, é maior que tudo. Essa é a essência. Obrigado pai e parabéns pelo teu dia.

Enfim, essa é minha homenagem ao dia dos avós. Para pessoas que viviam em épocas difíceis, que  foram e que continuam sendo guerreiros, que apostaram as fichas em nós, nos dando a oportunidade de crescermos valorizando mais o "ser" do que o "ter". Dizem que avô e avó mais "deseduca" (se é que essa palavra existe) do que educa, mas esse é o objetivo mesmo. Curtam os netos de vocês, e deixa que o resto, eu e a Sherol damos conta. Parabéns "fofôs" e fofós".

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Conversas no Ônibus

Começo esse post com um pequeno desabafo e se você não é muito de ouvir lamúrias, por favor, pule para o segundo parágrafo. Ok, ok, pule para o terceiro ;o) 

Prometi a mim mesmo que jamais usaria o artifício "tempo" para não escrever no blog do Téo, mas uma Pós Graduação (graças a Deus já finalizada), um segundo emprego dando aulas a noite e uma "troca de sistema" na empresa me calaram a boca com louvor: "Não prometa o que não possa cumprir baby". Para meu consolo, a atenção que me falta ao blog não me falta presencialmente, logo me julgo e me absolvo da acusação de "me esconder atrás da falta de tempo" a qual estamos todos subjugados e toco a bola para a frente num novo post. Isso é claro, sem esquecer que a Sherol têm mantido esse blog muito bem sem mim. Desabafo feito, eis o post.

Estávamos eu e o Téo voltando para casa depois de um dia estafante para ambos (eu no trabalho, ele após um níver na escolinha). Sentei no banco do ônibus e agradeci o frio enlouquecedor de Porto Alegre, pois pude ir mega-abraçado no Téo por boa parte do caminho sem ter os olhares de "PAI BABÃO PRESENTE" me perseguindo, apesar de ser definitivamente fã do meu filho (ok, ok, vou ejetar o pai babão, pelo menos até o final deste post). Enfim, estávamos aconchegados e o Téo já se apresentando à Morfeu para o soninho costumeiro da viagem de 40 min e muito bem agasalhado. Tão bem agasalhado que o papai, atento que só, não percebia que já na metade do caminho o coitadinho já estava com o cabelo molhado de tanto suar a testa :o)

Mas por que o título do post é "Conversas no ônibus"? Pois bem, a moça que estava sentada ao meu lado, e que, diga-se de passagem, foi muito gentil ao permitir  que eu e o Téo "nos acomodássemos" confortavelmente naquele banco estreito, ficando ela praticamente sentada com "meia bunda" ;o), vira pra mim e dispara:
- "Posso te fazer uma pergunta?"
Eu: - "Claro", mas já ligando o "Sensor aranha" pois o que tem de louco nesse mundo né, vai saber?!
Ela: "Será que ele não está com calor?"
Olho para o Téo e me apavoro, primeiro com o suor dele e depois com minha patetice, hehehe (desculpa filho, sei que você vai ler isso um dia). Removo o casaco do guri e agradeço com aquela expressão envergonhada  tentando salvar minha reputação de bom pai. A moça, percebendo meu constrangimento e, me dando a oportunidade de me redimir frente a mim mesmo me pergunta?
- "E aí, como é ser pai?"
Oh-oh, grande erro moça. Palestrei os 20 minutos restantes heheheh. Comecei em "No início era uma escuridão e então fez-se a luz", e acabei no dia da festa da escolinha. Ok, brincadeirinha, é claro que procurei não ser um completo chato de galochas, pois as vezes pais babões tem essa mania. A questão é que notei nela nitidamente a vontade de ter filhos, mas não pude perceber se o que faltava era a coragem, um bom parceiro, enfim, parecia que a indecisão lhe corroía os pensamentos. Sem contar que posso ter sido um agravante pois ela certamente deve ter pensado "Já pensou ter filho com um cara desses que sequer nota o filho virando suco no próprio colo!?" ;o)

Enfim, esse post é só para dizer em caixa alta: NÃO TENHAM MEDO. ENTRE CASAR E COMPRAR A BICICLETA: CASEM ;o) E TENHAM FILHOS, COMO DIRIA O CIDADE NEGRA, "FILHOS FEITOS DE AMOR". O Téo foi a coisa mais maravilhosa que me aconteceu na vida, e posso dizer, sem medo de errar, que também o foi na vida da Sherol. É claro que criar filhos têm suas complicações, mas todas transponíveis com dedicação e paciência. Ele definitivamente não sabe o que "bem material" significa, mas com certeza sabe exatamente o que significa "amor" e isso é tudo o que você precisará. É claro que precisa ser uma decisão muito bem pensada, só não pense a vida toda. Também não caia na besteira de achar que o seu amor pelos seus filhos é só o que interessa e ame a si mesmo também. Isso lhe permitirá dizer os nãos que a vida dele(a) lhe exigirá.
 
Ah e quanto aos pais babões "desligados" (e se você abrir o dicionário no verbete "desligado" encontrará uma foto minha com cara de cachorro pidão), não se preocupem, eles entram logo na linha e mais ajudam no que atrapalham na criação dos filhos (pelo menos eu acho hehehe). Então fica a dica, se quiser puxar papo comigo no ônibus fique a vontade. Só esteja preparado para esse discurso, pois meu amor por esse guri simplesmente não tem fim.


Eu e o Téo no bus.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Cine Paterna!!!


Recebemos na semana passada da Cristina Araújo da In Press Comunicação uma sugestão muito boa para o Dia dos Pais: uma edição do "Cine Paterna" em Porto Alegre!!

Eu já conhecia o projeto CineMaterna, não consegui ir a nenhuma sessão, mas acho muito legal a iniciativa. Talvez se eu tivesse conhecido durante a licença-maternidade teria participado mais, acho que nesse momento é fundamental recém-mãe sair de casa e ver o mundo, ficando tão absorvidas pela cria que vestir algo que não seja pijama e chinelo já é uma verdadeira revolução! Quero ver se me organizo pra ir com o Téo num sábado. Saiba mais aqui.

Agora em agosto a Fisher-Price (marca dos brinquedos fofos!) vai promover junto com a ONG CineMaterna sessões gratuitas de cinema na véspera do dia dos Pais, quer programa mais delicioso pra comemorar a data???

A votação para escolha do filme que já é de praxe na ONG encerrou no domingo (07), mas ainda não consta no site o filme escolhido para Porto Alegre, sabemos que será no Cinemark do Bourbon da Ipiranga (gosto de lá, o acesso é tranquilo e o estacionamento é grátis!)

Abaixo transcrevo as informações enviadas pela Cristina:


Fisher-Price promove sessões gratuitas de cinema para os papais

Realizado pela ONG CineMaterna, o evento acontece simultaneamente em onze cidades brasileiras e tem co-patrocinio da Natura Mamãe e Bebê
Pelo segundo ano consecutivo, a Fisher-Price promove sessões gratuitas de cinema para os papais acompanhados de seus bebês de até 18 meses. O evento CinePaterna by Fisher-Price, ação da ONG CineMaterna, promete levar entretenimento e diversão para São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Salvador, Recife, Brasília, Campinas e Santos no próximo sábado (13), véspera do Dia dos Pais. Eles terão direito de levar um acompanhante.
Os filmes serão selecionados pelo próprio público por meio de uma votação, entre hoje e domingo (07), no site www.cinematerna.org.br. “Além de escolher o filme, os papais reunirão a família e terão momentos de interação com o bebê em espaços aconchegantes. Não tinha como a marca ficar de fora desse momento tão especial”, afirma Camila Nogueira, gerente de Fisher-Price.
Para assegurar que os grandes lançamentos da telona serão assistidos com muito conforto, as sessões contam com alguns diferenciais, como som reduzido, luzes pouco acesas, trocadores na sala, ar condicionado ameno e muitos brinquedinhos Fisher-Price.


Como funciona?
Os ingressos para a sessão serão distribuídos no dia por ordem de chegada para o pai que for ao cinema com o seu bebê de até 18 meses e um acompanhante. O pai deve estar munido da certidão de nascimento do bebê. Os ingressos são limitados e sujeitos a lotação das salas.

Quem precisa comprar ingresso?
Além de os bebês de até 18 meses, os papais têm direito a levar um acompanhante. No caso de pessoas extras, haverá a necessidade da compra do ingresso no guichê do próprio cinema. 

Serviço
CinePaterna by Fisher-Price
Data: 13 de agosto (sábado)
Local: São Paulo (Market Place e Anália Franco**); Campinas (Iguatemi); Santos (Praiamar); Rio de Janeiro (Downtown); Porto Alegre (Bourbon Ipiranga); Florianópolis (Floripa Shopping); Curitiba (Mueller); Brasília (Iguatemi); Salvador (Salvador Shopping); Recife (Shopping Recife**); Vitória (Shopping Vitória)
** Rede UCI
Horário: às 10h30 para as salas UCI e, às 11h, para as salas Cinemark.
Valor: Entrada gratuita para papais e mamães acompanhados de seus bebês de até 18 meses. Ingressos limitados. Demais acompanhantes deverão comprar seus ingressos na bilheteria.
Indicação: Aconselhável chegar meia hora antes para retirar os ingressos. Levar certidão de nascimento dos bebês.

Sobre a Fisher-Price
A Fisher-Price, empresa do grupo Mattel Inc., há 80 anos desenvolve brinquedos e acessórios de puericultura que despertam na criança novas sensações e habilidades. Para garantir o padrão Fisher-Price, cada produto demora, em média, um ano para chegar ao consumidor final, pois antes de seu lançamento é testado por crianças e especialistas de diversas áreas - o que comprova a preocupação da empresa em criar produtos que contribuam efetivamente para o desenvolvimento infantil.
O site www.fisher-price.com.br possui informações que auxiliam os pais a cuidarem e estimularem o desenvolvimento de seus filhos por meio de brinquedos e brincadeiras. Além disso, fornece dicas de atividades lúdicas que podem ser realizadas nas horas vagas.
SAC Mattel – 0800 550780


#ficaadica Papais!!!


P.S. só para mamães: aproveite que o maridão vai ficar umas 2hs no cinema com a cria e vá ao salão, faça as unhas, pinte o cabelo, ou compre umas roupinhas, ou simplesmente vista o pijama e durma em plena tarde de sábado!!! O Papai vai adorar ter de presente uma mamãe revigorada hehehehehe
#ficaadicapreciosa ;-)

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Semana Mundial da Amamentação 2011

Na primeira semana de agosto (de 01 a 07) ocorre a Semana Mundial da Amamentação, a ideia esse ano é falar da amamentação como uma experiência em 3D e para isso o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria lançaram uma campanha com a linda da Juliana Paes.

Eu achei os vídeos lindos! Os depoimentos muito "reais", me identifiquei com eles. O Téo já tá desmamado mas acredito que até hoje (e por toda a vida) colhemos os frutos dele ter mamado em livre demanda até 1 ano e 4 meses.

E a campanha Amigo do Peito lembrou muito o Cristiano, que foi muito, muito, muito importante para mim e para o Teodoro durante o aleitamento!

Vídeo da campanha:




Amigos do Peito: Cristiano, O amigo do peito!!!




Depoimentos:

Informação é uma arma poderosa!!


Quem realizou um sonho amamentando bota o dedo aqui o/


Quem já se emocionou amamentando bota o dedo aqui o/


Pra fechar esse post uma foto de um momento muito emocionante pra mim, esse era meu segundo dia em casa, meus seios doíam muito, mas ver meu pequeno mamando me dava força pra seguir!


Sinto saudades!!!!





Links interessantes:

Aleitamento.com

Sociedade Brasileira de Pediatria - reunião de artigos e notícias sobre a SMAM 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

Ele estragou minha mãe!

Já escrevi aqui sobre a relação da minha mãe com o Téo, e algumas pessoas até me perguntaram se era verdade o lance do balanço. Digo e repito: verdade verdadeira, é só perguntar pra minha irmã que ela confirma kkkkk

No feriado da última Páscoa as minhas previsões de que o Teodoro definitivamente está "estragando" a minha mãe se confirmaram, e eu tirei fotos pra que ninguém duvide:



Vocês viram o que eu vi???

Cadê aquela pessoa que levava as filhas na pracinha só em datas muito especiais (que coincidiam muitas vezes com passagens de cometas...) e jamais empurrava no balanço???????

Cadê aquela teoria de que criança tem que brincar sozinha, que é melhor?????

Cadê? Cadê? Cadê?

Tá bom Mami, já sei a resposta: "Isso é coisa de mãe, agora eu sou vó do Téo".

Feliz Dia da Vovó!!!

Para a mamãe aqui só resta admirar esses sorrisos rasgados das fotos, tem coisa mais linda?

Feliz dia da Vó!!!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Final de semana de sol!!!

Depois de uma semana de chuva, o sol foi muito bem vindo nesse final de semana. Ficamos em casa e o Téo pôde curtir nosso pátio e brincar com o que ele mais adora por lá: pedrinhas!



Domingão foi um dia de preguiça, dormimos até tarde e quando acordamos ainda prolongamos a moleza curtindo um pouco de TV no sofá...


Notem, ele tá vendo TV abraçado numa bola de basquete, e isso não é montagem nem "obrigado" tá bom.... ;-)

E foi um fim de semana de visitas também: a Vó Marta, os dindos Desi e Rick, o Vô Flávio e a Vó Zilá, Tio Deni e a Tia Renata e o primo Vinícius.

Olha aê o Vini e o Téo se divertindo com o livrinho da Ciranda da Leitura!


Coisa mais querida esses dois!!!!


Boa semana pra todos!!!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Expandindo o vocabulário!

Conseguimos no último findi filmar o Teodoro falando sua nova palavra: "cu-co", traduzindo: "su-co".
Devido ao equipamento caseiro tem que fazer um certo esforço pra ouvir, mas vamos lá:



Segundo Cristiano é um "suco" no maior estilo "Dr. Alceu" do Pretinho Básico, deu pra entender ele imitando no final do vídeo?! kkkkk

terça-feira, 19 de julho de 2011

Desmame: adaptação difícil

Quem me conhece um pouco ou já leu algumas coisas que postamos no blog sabe que aqui em casa a amamentação sempre foi prioridade. Passei a gravidez toda me preparando para amamentar o Téo, e "graças a Deus" sempre tive muito, mas muito leite mesmo (aqui).

Nossa intenção sempre foi amamentar até pelo menos o Téo completar 2 anos. Mas, hoje, aos 1 ano e 4 meses de vida posso dizer: o Téo tá desmamado.

Vocês não imaginam como é difícil pra mim escrever essa frase. Pensar nisso sempre foi uma coisa que reservei para um futuro distante. O futuro chegou, e pra mim está sendo bem duro.

Já faz algumas semanas que o Téo não quer saber de mamar no peito, na primeira vez até achei graça dele balançando a cabeça dizendo não (aqui). Eu, internamente, me recusava a admitir.

Eu segui oferecendo. Algumas vezes ele topava, outras não. E logo o "não" se tornou o mais frequente.

Com isso, o meu leite vai escasseando, na última vez que ele mamou tomou uns dois goles e disse: "ba-bô" (traduzindo = acabô).

Pode parecer muito drama para alguns, mas pra quem já amamentou sabe o quanto esse momento é mágico. É uma conexão muito intensa que a mãe vive com sua cria. Eu sempre quis amamentar, tive muito leite e nunca pensei que o desmame ia ser tão cedo. Na boa, não tava preparada.

O primeiro momento é de negação: ele não quis mamar e a gente pensa "Não tá com fome". Depois de algumas recusas vem o momento "mamãe-culpada-mártir-ai-meu-deus-onde-foi-que-errei": será que eu devia insistir mais? Será que ele tá bem alimentado? Será que eu não devia ter dado mamadeira pra ele? Será? Será? Será?

Pausa. A culpa é uma companheira que vem de brinde com o exame de HCG: basta ser mãe pra sentir alguma culpa. (leia um belo texto da Glau aqui). E para mães "teimosas" e cheias de "convicções" como eu parece que pesa em dobro. Despausa.


Mas devemos deixar o coração guiar, ele me diz que chegou o momento. Usei o coração para saber quando o Téo precisava mamar e agora tenho que ouví-lo pra aceitar que ele não quer mais, não precisa. Não interessa que os manuais mais "descolados" me digam que tenho que amamentá-lo até os 2 anos. Aqui em casa isso é com o Teodoro. Ele mamou sempre em livre demanda, então nada mais justo do que desmamar em livre demanda.


Escrevo um pouco também pra me consolar. Sinto saudades de amamentar e depois ficar uns bons minutos com ele de pé no meu colinho (até hoje a posição predileta dele). Sinto saudades até de ter que pensar em roupas fáceis de "sacar o peito" em qualquer lugar! (neste findi pus um vestido que não usava por não dar pra amamentar...)

No último final de semana dei as últimas insistidas, e decidi que não vou insistir, se ele pedir claro que dou, mas quase não tenho mais leite (sem demanda fica difícil manter a produção, a natureza é sábia) e acredito que seja o melhor pra nós dois.

Coincidência ou não ele anda numa fase "ternurinha" comigo. É carinho, beijinhos e abraços apertados toda hora. Acho que ele sente que me dói e na verdade tá me consolando. É como se dissesse: "Mamãe, eu te amo viu?! Com mamá ou sem!"

;-)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Fim de semana agitado!

Na sexta teve visita da Vó Marta, então Teodoro ganhou muito amasso e quase matou a minha mãe cada vez que sorria.

O sábado foi super intenso, começou com festa junina na Escolinha, com direito a canjica e pescaria. Não tinha muita gente, mas para o Téo já tava bom! Olha ele aê "seduzindo" ;-)



Almoçamos na rua e depois o Teodoro fez sua estreia no teatro. Calma gente, o filhote é precoce mas não tanto! Fomos assistir uma peça de teatro! ;-)






Pela terceira vez esse mês ganhei ingressos para ir ao teatro pelo twitter da TVE (juro que não conheço ninguém lá! Segue e concorre tb: @tve_publica_rs), e dessa vez era uma peça infantil chamada "Pedro e o Lobo", parte da programação do Festival de Teatro Brasileiro. Coisa mais fofa!

Achei que o Teodoro não ia curtir muito, sei lá, a princípio achei que ele é muito pequeno pra fixar atenção nessas coisas, tirei por base a TV que, a não ser quando toca música, ele não para mais que 5 min (ah! nessa entra a Galinha Pintadinha tb) em frente. Mas como chegamos cedo sentamos bem próximos ao palco, isso ajudou bastante a manter o Téo ligado no que tava acontecendo. Depois a peça é verdadeiramente ótima! Os bonecos são todos muito fofos (olha o Pedro na foto ao lado), cada personagem possuía um som que o identificava, com direito a aulinha de música no início da peça. Um luxo só!!

O Teodoro só se manifestou mesmo quando viu o Lobo! Coisa mais fofa ele dizendo "au-au" cada vez que o "vilão" entrava em cena!
Só devo fazer um esclarecimento necessário: papai e mamãe se divertiram a beça com a peça! kkkkk

Pra fechar o findi ontem (domingo) fomos ao aniversário de dois anos da Mainá, filha do nosso amigo Luciano (popularmente conhecido como Biro ;-) e da Gabi. O Teodoro descobriu e se fascinou pela piscina de bolinhas!!



Fiquei morrendo de vontade de comprar umas bolinhas e encher a piscina dele.... planos....

O resultado: hoje eu vesti o Téo, peguei os dois ônibus de costume e ele não acordou!!! Cheguei a dar uma cutucadas nele pra ver se tava tudo bem!!! kkkkk

Nessa semana quero ver se consigo filmar a nova palavra do vocabulário do Téo: "cu-co", traduzindo = suco!!

Até!!