terça-feira, 27 de setembro de 2011

Finalmente BPA proibido no Brasil

Antes tarde do que nunca: entrou em vigor uma resolução da ANVISA que proíbe a fabricação e importação de mamadeiras que contenham bisfenol A (BPA).

Nós, aqui em casa, já tínhamos adotado plásticos sem bisfenol em todos os utensílios do Téo (falamos aqui), mamadeiras de vidro e nada de plástico no microondas!! E algumas pessoas (umas próximas e outras nem tanto) acharam um cuidado excessivo, uma bobagem. Bueno, agora é oficial, bisfenol A está proibido também no Brasil. Foi proibida a fabricação e importação de produtos, e os fabricantes/importadores tem 90 dias para se adequar e os produtos "em estoque" podem ser comercializados até 31 de dezembro.

Porque foi proibido? Nos últimos 10 anos várias pesquisas e estudos sugerem que essa substância, mesmo em quantidades muito pequenas pode ser prejudicial a saúde, afetando principalmente o desenvolvimento dos bebês e, segundo o site O tao do consumo, "simula no organismo a ação do hormônio estrogênio, podendo causar desequilíbrio no sistema endócrino. Estudos em animais mostram que a contaminação dos alimentos por bisfenol pode provocar puberdade precoce, câncer, alterações no sistema reprodutivo e no desenvolvimento hormonal, infertilidade, aborto e obesidade." (daqui)

Parece o fim do mundo né??!! Foi por causa de informações como essa e a proibição em muitos países que aqui em casa abolimos o BPA da vida do Téo!

Mas não se desespere! A questão é que agora que tu já sabe, vamos tomar atitudes para evitar a contaminação, não fique remoendo....

O objetivo principal desse post é dar algumas dicas, principalmente porque ficaram de fora da proibição outros utensílios de plásticos usados por crianças como copos, pratos e talheres. Logo, continuarão sendo produzidos com bisfenol A...

Então o quê fazer?????

Aí vão as dicas: o bisfenol está presente nos utensílios feitos em policarbonato. Então, não deixe de ler os rótulos. Tá bom, sei que ler coisas do tipo "poliesterol de esteril da pqp" não ajuda muito, então vai a segunda dica: como identificar os rótulos!!

Primeiro temos que catar a composição do utensílio, prefira utensílios de polipropileno (PP) e polietileno (PE), se isso não estiver claro preste atenção naquele número que aparece entre as setas em triângulo, ele indica a composição: evite os números 3, 6 e 7. Assim ó:

Imagem daqui

Ás vezes no meio das setinhas tem inscrito PP ou PE, então também vale.

A Sanremo, marca mais encontrada nos "1,99" por aí divulga em seu site (aqui) que todos os seus produtos são BPA Free, o que já é um alento.

Outra questão importante: a contaminação se dá quando o plástico é aquecido, então esquente os alimentos em pratos e vidros e depois passe para o utensílio de plástico se for o caso. Em casa utilizamos pratos e potes de vidro com tampa (os populares "marinex") para as comidinhas do Téo, e adotamos o não aquecer plástico no microondas para todo mundo. Não gastamos quase nada com isso, nas Americanas, ou em qualquer bazar tu pode encontrar potes de vidro bem em conta.

Então, não custa nada prevenir!!!

;-)

ANVISA

Site muito legal sobre o assunto: O tao do consumo. Foi de onde tirei a maioria dessas dicas!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Dia dos pais 2011

E chegou o dia dos pais ;o). E passou o dia dos pais e eu, para variar, coloco post atrasado no blog do guri ;o( . A propósito, este foi meu terceiro dia dos pais, uma vez que o primeiro foi computado quando o Téo ainda estava na barriga da mamãe. E então, qual o balanço desses 2 anos de paternidade? Magnífico. Muito bom mesmo e hoje entendo o porque dizem que antes de morrer temos de escrever um livro, plantar uma árvore e ter um filho (só não entendi o raio do livro e da árvore ainda). Eu sei que não deveria, mas como andamos presenciando cada coisa ultimamente, quero deixar claro que a frase anterior entre parênteses foi irônica ;o)
Enfim, piadinhas sem graça a parte, o mês dos pais foi de episódios memoráveis, como o dia em que pegamos o Téo na escolina e de lá rumamos para a casa do dindo Du comemorar seu aniversário. Ao voltarmos para casa, ali pelas 00:30hs, abrimos a agenda da escolinha e lemos o bilhete dizendo "Favor mandar AMANHÃ a mão e o pé do papai pintados nessas folhas", acompanhado de uma tinta têmpera verde. Pois é, já estava chegando o mês dos pais e a escolinha estava preparando uma atividade para as  crianças e precisavam do pé a da mão do papai para poder realizá-la. Meu olhar de "MEL DELS, são 00:30hs e preciso levantar para trabalhar as 5:35hs, preciso mesmo pintar o pé agora??" foi rapidamente repelido pelo da mamãe que dizia algo como: "Pinta esse teu pé agora ou eu mesma vou arrancar ele de ti pra pintar". Enfim, eis minha expressão de satisfação:
Abaixo, um dos resultados, o pé 43 do papai:

Brincadeirinha! Maldades a parte, esse ano ganhei presente na escolinha também, um cobertor para o Téo e o papai se aquecerem enquanto estiverem no sofá; cobertor aliás, que foi sequestrado pela mamãe. Abaixo, a foto na escolinha, com as profes. (e com a girafinha Estefani, claro). Vamos combinar que pintar o pé a qualquer hora da madrugada vale o sorriso desse guri.

Falando um pouco agora sobre como tem sido a experiência de ser pai e entrando num papo mais filosófico, não sou uma pessoa que desenvolveu seu lado espiritual, sendo esse um dos milhares de itens a ser trabalhado na minha listinha de "Coisas que devo melhorar / aprimorar / desenvolver / perdoar / me desculpar, antes de fazer A passagem" ;o) Ainda assim, fico maravilhado com  o aprendizado de vida que o Téo tem me proporcionado, principalmente no que tange ao desenvolvimento das minhas habilidades como pai e principalmente como filho, que por alguma razão creio terem explicações divinas. Isso sem falar nas coincidências que mesmo a genética explicando, me deixam embasbacado, como o fato de fisicamente encher a ponta do nariz e o bigodinho com gotículas de suor, ou emocionais como ser carinhoso,  beijoqueiro e teimoso feito mula (características inconfundíveis do papai).

Essa proximidade que estou desenvolvendo com o Téo, me faz lembrar de coisas que gostaria de ter feito com meu pai e que infelizmente na época não foram possíveis e que hoje são inviáveis, como jogar bola, por exemplo. Ria a vontade, mas meu principal sonho na vida hoje é disputar uma partida de basquete de praça ao lado do meu filho. O que?? Simples assim? Pois é, simples assim. 

É claro que todo o pai quer o melhor para o seu filho (ou pelo menos, deveria querer), e não sou diferente. Mas não projeto o Téo como um astro da música, um jogador de futebol famoso, um astrofísico de sucesso ou o primeiro presidente negro do Brasil. Projeto o Téo como uma pessoa de caráter, saudável fisica e emocionalmente, que saiba amar, que tenha responsabilidades, que seja amigo e parceiro e que, uma vez que tenha desenvolvido essas virtudes, seja feliz da maneira que quiser. Vou me esforçar ao máximo para mantê-lo longe das drogas e para dar-lhe amor, estudo, educação, acesso a atividades culturais e esportivas. Qualquer coisa além disso serão decisões que ele mesmo deverá tomar e que definirão o rumo da sua vida. Só estarei lá para dar suporte ou ficar feliz por ele, e continuar me encantando com os mistérios da vida que se repetem por diversas gerações numa família. No final das contas, tirando os devaneios de pais que querem transformar os filhos em máquinas do sucesso, ver seu filho saudável e feliz é o que todo pai quer.

Ah e a propósito, talvez meu sonho não seja assim tão simples; talvez ele não goste de basquete mas de golfe, vai saber. O importante é que mesmo que meus sonhos e minhas humildes projeções para com ele não se realizem , se ele for capaz de encarar a vida com esse sorriso, vou estar sempre lá pra aplaudir.
Pai do Téo - Ano 2 ;o)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Guarda-guarda

Desde que entrou pra escolinha o Téo conhece a música do "guarda-guarda" que serve pra "animar" a galerinha miúda a juntar os brinquedos espalhados.

Aqui em casa a bagunça é geral, mas de vez em quando eu entoo o mantra pra ver se pelo menos o Téo se salva!

Ontem até consegui filmar, olha que coisa mais fofa!

video


Não sei até quando vai durar, mas "que seja eterno enquanto dure" hehehehehe

1 ano e 6 meses depois!!!

Semana passada nosso pimpolho completou 1 ano e 6 meses, datas "redondas" são marcos, e como também faz tempo que não posto nenhuma novidade por aqui resolvi usar esse pretexto e fazer uma pequena atualização para aqueles que acompanham esse humilde blog e o desenvolvimento do Teodoro ;-)

Falando sem parar!

Faz pelo menos um mês que o Teodoro resolveu falar pelos cotovelos. Costumava brincar que ele falava algo que não é português, mas falava. Agora ele está se aproximando de algo como um "dialeto" de português: é possível identificar rapidamente ao que ele se refere, além do efeito papagaio! No sábado que rolou o UFC Rio foi ótimo, estávamos assistindo as lutas e no meio de uma das lutas o Cris disse: "Toma!", imediatamente Téo olha pra nós e sorridente grita: "To-ma!" bem direitinho!! Minha maior preocupação agora é com a minha boca suja... Não vai demorar pro guri sair por aí dizendo car%$#, PQP e outras pérolas minhas!! :-|

Fazendo manha...

Para aqueles que acreditam que criança pequena não entende as coisas devo alertar: entendem até demais! O Teodoro sabe exatamente o que quer e como conseguir! É impressionante como esse pitoco de menos de 1m tenta se impor. Basta dizer não pra ele e a primeira reação é jogar tudo no chão. Depois chorar. E insistir. Insistir. Insistir. Insistir. Insistir. Insistir..... Haja paciência!!!

Carinhoso!

O Teodoro é muito amoroso. Distribui beijinhos por onde passa e adora dar abraços! Qualquer semelhança com um tal de Cristiano, não é mera coincidência!

Conhecendo o próprio corpo.

O Teodoro já sabe nomear as partes do corpo (olhos, nariz, boca, braço e o preferido, pé) e já está desenvolvendo muito bem a expressão corporal. Ele já imita movimentos, ontem mesmo ficava erguendo a perna junto com Cris enquanto ele fazia alongamento depois da corrida e hoje pela manhã ficava olhando pro pulso junto comigo, checando o relógio! Uma graça! Acho isso um marco muito importante, e nessas horas agradeço por termos tido a oportunidade de ter vindo morar numa casa, com espaço para o Téo correr, acredito que isso contribua muito para o desenvolvimento dele.

Dançarino!

Desde muito cedo o Teodoro curte música. Muito cedo mesmo: lembro dele pitoco, não conseguia nem sentar sozinho e já se balançava! Tem um vídeo aqui dele "cantando" Tim Maia no auge dos seus 3 meses de vida!!!Temos alguns vídeos dele bailando, quero ver se tiro um tempo pra organizar e postar aqui. Quem já viu ao vivo sabe, meu filho é um dançarino de primeira!!!

Por hora deixo vocês com essa palhinha....

video

Não é a coisa mais linda gente?!!!!

;-)

sábado, 3 de setembro de 2011

Home alone com o papai ;o)

E eis que o dia tão temido chegou: Pai fresco sozinho com o filhote, por 3 dias e 4 noites. Não, antes que você pergunte, nunca tive medo de ficar sozinho com o Téo, só coloquei essa frase introdutória para criar um falso clima de suspense mesmo ;o)

É claro que fiquei apreensivo, isso não há como negar. Já havia ficado sozinho com o Téo por muitas vezes. Mesmo quando ele tinha poucos meses, já saíamos sozinhos, justamente para fortalecermos nosso vínculo (e dar uma "folga" na rotina da mamãe, permitindo-lhe algumas horas de sono). Também por muitas vezes ficamos sozinhos em casa, porém sempre sabendo que num determinado momento do dia, mamãe como um pássaro, como um avião, ou como a Mulher Maravilha, abriria a porta de casa para encher o coração do meu pitoco de alegria e dar mais segurança ao papai, mesmo que fossemos ambos pais frescos. Os banhos do Téo desde o nascimento e ainda hoje, são responsabilidade do papai, mas ficar absolutamente sozinho com ele, seria cruzar uma fronteira do aprendizado ;o)

Não sou do tipo que compara homens e mulheres. Somos diferentes e simplesmete aceito essas diferenças. Assim sendo, não teria condições de comparar pais e mães, pois eles são diferentes. Se analisarmos o conjunto da obra, eles desempenham os mesmos papéis mas de maneiras diferentes e cabe a cada um saber aceitar essas diferenças ou sofrer as consequencias (que geralmente serão refletidas nos pimpolhos). Isso tudo para dizer que a Sherol tem o triplo da minha paciência, e sabe lidar muito melhor com as situações conflitantes do que eu (pelo menos no que se refere ao Téo ;o)). E minha preocupação nunca foi a troca de fraldas, o dar de mamar, as responsabilidades envolvidas na rotina diária, mas sim o fato de não ter habilidade suficiente para acalmá-lo nas "crises" de choro, pois o Téo é de uma sensibilidade ímpar, e quando ele está a fim de chorar, sai de baixo, só o cheiro de mamãe para acalmá-lo.

A Sherol se ausentaria no domingo a noite e voltaria na quinta pela manhã. Antes da viagem, tanto eu, quanto a Sherol, explicamos para o Téo que mamãe se ausentaria por um tempo e acreditem quando digo para vocês que, a despeito da carinha de "O que vocês estão tentando me dizer?", ele entendeu tudo perfeitamente. E já na primeira noite a surpresa: Eu sempre achei o Téo uma criança doce, tranquila, cheia de alegria, mas ele é muito mais doce e muito mais tranquilo do que eu poderia imaginar. É costume dele, nas vezes que dorme na nossa cama, agarrar as orelhas da Sherol e colar o rosto no dela para dormir. Eventualmente ele faz um carinho na minha orelha também, mas rapidamente, como se dissesse: "Ok papai, fica com ciúmes não pois tem carinho para as orelhas suplentes também", e logo vira pra Sherol e dorme atracado nas orelhas dela.  Naquela noite, ao ver que mamãe não estaria na cama, ele vira pra mim, agarra as minhas orelhas, repete umas 10 vezes "pa-pai", cola o rosto no meu e dorme (e eu achando que não tinha como ser mais feliz...). 

No dia seguinte levantar cedo, vesti-lo e levá-lo para a escolinha sozinho. Problemas? Nenhum. Tirando o fato de ele virar de bruços quando lhe tirava a calça para a troca de fraldas e umas manhazinhas normais de quem está levantando as 6hs da matina, tudo certo. Bastavam uns beijinhos no nariz e a tranquilidade e o soninho voltavam a reinar. Ao fim do primeiro dia, depois de buscá-lo na escolinha, tomarmos banhinho, comermos o papá e ficarmos abraçados no sofá antes da mamadeira, decidi passar pelo teste de fogo: ligar para a mamãe!!! E adivinhem? Ao ouvir a voz da Sherol no telefone, ele abriu um sorrisão, chamou a mamãe, e após a explicação de que a mamãe não vinha, beijou o telefone virou pra mim e soltou: "Papaiii, mamá". Não é um amor esse guri?!

Enfim, foram dias muito tranquilos, onde essa rotina se repetiu por diversas vezes e só pude comprovar o que já desconfiava: meu filho é um queridão ;o) Mal posso esperar para repetir a dose. Abaixo, uma foto do como ele fica de manhã quando o estamos vestindo para ir à escolinha.


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Cama compartilhada pode?

Há alguns meses atrás minha resposta seria rápida e rasteira: NÃO, NÃO PODE!!

O que mudou? Tudo.

Como sempre.

Andei me enganando, dizendo a mim mesma que o Téo fez "morada" em nossa cama por causa do frio. Mas acho melhor confessar: o Teodoro atualmente dorme metade da noite na cama dele e a outra metade na nossa! E isso é sim cama compartilhada!!! o.O

Tô há tempos querendo escrever aqui sobre isso, então embalada pela #festanotwitter de ontem que tinha como tema o sono dos bebês e também atendendo a uma convocação de blogagem coletiva resolvi abrir meu coração ;-) Tudo "culpa", como sempre, das gurias da Rede Mulher & Mãe!

O Teodoro sempre dormiu bem, exceto em alguns episódios de nariz entupido, sempre dormiu a noite toda. Nos seus primeiros quatro meses, enquanto eu estava de licença, ele gradativamente foi reduzindo as mamadas noturnas. Ele sempre foi um bezerro, no primeiro mês mamava de hora em hora, sem folga a noite. Aos poucos foi reduzindo, dormindo mais... até mamar às 22hs e depois só às 6h da manhã. Com isso retomei minha rotina de sono em seguida. Não dei mamá pra ele deitada quase nunca (acho desconfortável), e mesmo quando acordava de madrugada eu levantava e sentava na poltrona pra dar mamar e recolocava ele na cama.

Logo quando eu voltei a trabalhar às vezes ele acordava um pouco mais cedo, tipo 5hs pra mamar. Mas acho que isso se deve muito ao nosso distanciamento diurno. Então encarei na boa. Até ele completar 7 meses e pouco ele ficava em casa com uma babá. Eu acordava pouco antes das 6h, tirava leite pra deixar pro dia e dava o peito pra ele mesmo que "meio dormindo", e ele voltava a dormir. Durante o dia ele tirava uma ou no máximo duas sonecas de 1h, e as noites seguiram tranquilas.

Quando foi pra escolinha, em janeiro e já com 10 meses, por alguns dias ele tb acordou a noite querendo mamar, coisa que já não fazia há meses, mas isso durou uma semana mais ou menos. Depois, noites tranquilas. Foi em janeiro também que ele começou a "gostar" de dormir junto, fomos viajar pra praia eu, ele e minha mãe, e não tinha berço no quarto.

A fase que mais durou foi a do "Mamãe você tá aí?": ele choramingava no berço e só retomava o sono depois de eu ir lá fazer um chamego. Não precisava nem tirar do berço, e também não adiantava ser o papai. Ele tinha que olhar a minha cara, sentir meu cheiro. Essa foi a fase mais cansativa.... Tinha noites que eu ficava de bunda pra cima, toda encurvada só pro belezinha ficar agarrado nas minhas orelhas! Minha coluna ficou em frangalhos!

Somou isso mais o frio e a cama compartilhada entrou no repertório com mais frequência. Aqueles que moram no RS sabem do que tô falando: 0°C na madrugada é de doer!! Nisso ele já tava com mais de 1 ano e eu já bem cansada de levantar e com frio!

Eu nunca gostei de cama compartilhada. Morria de medo de sufocar o pequeno, e as estatísticas desse tipo de acidente são assustadoras (não achei link, mas minha mana enfermeira fazia a "gentileza" de me atualizar)!!! E também acredito que é um momento do casal, de dormir abraçadinho, e da mamãe descansar. Parece egoísmo isso, mas é a real: o Teodoro precisa de mim inteira, e pra isso acontecer preciso dormir e preciso do chamego do marido.

Mas atualmente não tenho saco pra levantar no frio e fazer o Téozinho voltar a dormir. Fora que ele é inteligente, já sabe do esquema e nem chora, só chama "Mãe, Mãe, Ma-mãe" e pronto, levamos ele pra nossa cama.

Mas o que é isso???? Onde foram parar os meus princípios???? kkkkkkkk


O fato é que isso não me incomoda mais tanto quanto antes. O Téo dorme bem, não faz manha demais (só a quantidade aceitável ;-) e isso na verdade é o que importa. (E agora correr menos risco de ser sufocado! hehehe) Tenho a primeira parte da noite pra dar uma descansada, agarrar bem o marido e depois lá vem ele ;-)

Para as mamães aflitas devo dizer que não usamos nenhuma técnica mágica, nunca sequer aplicamos todo o ritual da shantala (que fizemos até curso!). Desde cedo o ritual de dormir é o mesmo, e é bem simples: mamada e cheiro de mãe. Antes no peito e agora na mamadeira, mas sempre no meu colo, agarrado nas minhas orelhas, com muitos beijinhos e carinho. Incluí nesse ritual uma escavada nos dentes, sei que antes de mamar não adianta muito, mas insisto pra criar o hábito. E só. Acredito que cada família descobre com tempo e paciência o que lhe é mais confortável. Se tivesse que dar uma dica, seria essa.


Pretendo aos poucos ensiná-lo a dormir sozinho na cama. Acho que isso vai ser mais complicado, pois somos muito agarrados, ele até já dorme depois de mamar, não só durante o mamá como era de costume, mas não se não estiver no colo e de preferência agarrado nas minhas orelhas. Mas isso não me incomoda, é bom pra mim também, pra relaxar e curtir a cria.

Até agora tem funcionado deixar as coisas correrem naturalmente, aos poucos ele mesmo não vai mais querer ficar no colo, ou pular pra nossa cama (#fé). Acredito mesmo que gradativamente ele vai se desvencilhando dessas coisas, talvez no verão quando ficar no colo já não é tão confortável eu passe a dar o mamá e levá-lo pra cama mesmo sem que ele esteja dormindo, e talvez com algum bichinho de transição (provavelmente a Estefani, sua girafa predileta) no início pra facilitar. Mas isso são planos, se vai dar certo nem Deus sabe ;-) Como diria @maedemerda "Ser mãe é cuspir pra cima"

;-)