segunda-feira, 8 de março de 2010

E o Téo chegou...

Meu aniversário, dia 02 de março. Não sou uma pessoa que gosta de comemorar aniversários com festas. Nada contra fazê-las, mas para mim não são imprescindíveis. Entre comemorar meu aniversário em restaurantes e baladas ou fazer um jantar na minha casa apenas para os parentes e amigos mais chegados, fico com a segunda opção. É claro, não posso negar que algumas maneiras inusitadas de comemorar essa data já me passaram pela cabeça, mas nenhuma delas incluía "comemorar meu aniversário participando do parto do meu filho". E não é que alguém lá em cima resolveu me mandar esse presente?
Tudo começou as 1h da manhã, mas a Sherol só me acordou as 4hs, quando, segundo ela: "tinha certeza de que algo estava acontecendo" ;o) Ficamos das 05hs às 07hs monitorando o intervalo das contrações, e quando o intervalo condizia com o que havíamos combinado com a obstetra, nos direcionamos para o hospital. Ok, ok, a idéia desse post não é descrever em detalhes o trabalho de parto da Sherol, isso ela mesma fará num post futuro; a idéia aqui é dar as boas vindas ao nosso pimpolho e compartilhar com os acompanhantes desse espaço, algumas impressões que eu tive da experiência vivida naquela terça-feira.

Como os acompanhantes deste blog devem saber, durante os últimos meses mudamos nossa vida radicalmente, nos preparando para receber nosso pimpolho. Lemos livros, fizemos cursos de preparação para o parto, curso de shantala, a Sherol fez Yoga para gestantes, corremos atrás de fraldas de pano de melhor qualidade, lemos tudo o que podíamos sobre parto, escolhemos a obstetra, o pediatra, o hospital, o nome dele. Exames de sangue e urina periódicos foram realizados, fizemos 6 ecografias, compramos roupinhas, banheira, carrinho, e demais acessórios para bebês. Como geralmente para a classe masculina, as emoções são um tanto quanto abstratas até o momento do parto, pois as emoções da gestação são exclusividade feminina, posso afirmar com toda a propriedade de um pai "fresco": tudo o que fizemos nestes últimos nove meses, desde a descoberta da gravidez, se justificou, divinamente no exato momento do nascimento. Sempre me senti apto a descrever as sensações que teria ao assistir o nascimento de um filho, mas hoje vejo que sou incapaz de transformar em palavras, a felicidade/emoção/realização sentida ao ver o Teodoro vindo ao mundo. Não sei se por ter participado ativamente estando sempre ao lado dela, segurando suas mãos ou fazendo massagens durante as contrações, não sei se por sentir um certo orgulho de cada gota de suor escorrida do rosto da Sherol, não sei se por ver o bebê com carinha de joelho mais lindo do mundo ser literalmente arremessado do útero, a questão é: simplesmente indescritível. Lindo e indescritível.

Uma entre as milhares de coisas que me marcaram naquele momento, é que a fim de criarmos um ambiente agradável e propício para o parto, já havíamos combinado com a obstetra que levaríamos um rádio e uma seleção musical para ouvirmos durante o procedimento (segundo a médica, para deixar a gestante mais relaxada). A Sherol me encarregou dessa tarefa e criei uma lista com cerca de 50 músicas "calmas", mas agradáveis. A lista ia desde Seal, Sade, Earth Wind & Fire, Simply Red, passava por Madredeus e Enia, esbarrava em Djavan, Pedro Camargo Mariano, Maria Rita, Vanessa da Mata e Jorge Vercilo e ainda tinha umas pitadas de Beyoncé, Maxwell e Jamie Fox. E lembro-me que no exato momento do nascimento, as 11:47 daquela manhã de terça, tocava "Case-se comigo" da Vanessa da Mata (seria isso um sinal???).

Mas voltando a seriedade deste post, queria agradecer a obstetra Scheyla Ceroni e ao pediatra Ruy Pezzi de Alencastro pelo trabalho realizado. Principalmente à dra. Scheyla pelo seu comprometimento com o desejo de suas pacientes, neste caso a Sherol, pois era vontade dela desde o primeiro contato ter um parto natural e, falando em momentos marcantes, foi justamente o que aconteceu. Agradecer também a Fabiana Panassol, pois suas dicas de massagens para aliviar as dores das contrações foram muito utilizadas, assim como assumir uma posição de comando e manter a calma, também se mostraram dicas imprescindíveis. Confesso que as massagens talvez não tenham sido tão efetivas quanto imaginei que seriam, mas certamente provocaram um alívio, mesmo que momentâneo, dignificando minha presença na sala de "Preparação Para o Parto III" do Hospital Divina Providência. Agradecer também a equipe de enfermeiras, as quais infelizmente e injustamente não recordo os nomes, mas que tiveram uma participação importantíssima naquela sala. E agradeço claro a Sherol, não só pelo seu amor e companheirismo, tornando-se em poucos anos o "chinelo velho" de um "pé torto", mas por guiar meu caminho no aprendizado que os pais de primeira viagem precisam para encarar a paternidade. Toda a mãe de primeira viagem, precisa de no mínimo, um pai de primeira viagem à sua altura, e se hoje posso exercitar minha paternidade, podes ter certeza de que o que me moveu até aqui foi o amor que tenho por ti, agora compartilhado com o Téo (te ralou negrinha ;o)). Fostes no parto, assim como tens sido nesses últimos 6 anos, MUITO mulher.

Agradeço também a todas as pessoas que acompanham esse blog, ou mesmo as que nunca entraram aqui mas mesmo assim sempre pensaram positivamente quanto ao nascimento do nosso filho. Essa necessidade que temos de registrar felicidade é na verdade nosso desejo mais puro de compartilhá-la com vocês. A quantidade de ligações, mensagens SMS e mensagens no Orkut que recebemos, nos conforta muito por saber que somos pessoas queridas e que o fruto de nossa união, já chega ao mundo cercado pelo mesmo carinho.

Seja bem vindo filho.

Abaixo seguem algumas fotos do nosso Teodoro;

Teodoro com 2 dias de vida ;o)

Téo com algumas horas de vida ;o)



Depois de um banhinho ;o)

2 comentários:

Blog Aline disse...

simplesmente LINDO

angela disse...

Sherol, que bebê mais lindo!!!!
Muita felicidade pra vocês.
Beijo,
Ângela